Venda de combustíveis cresce 9,2% em 2014

By | 11/02/2015

A venda de combustíveis no Ceará cresceu bem acima da média do Brasil em 2014. Segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), foram comercializados no Estado 3,5 bilhões de litros, volume que representa uma alta de 9,2% em relação a 2013, quase 300 milhões de litros a mais. Já no País, a média foi de um incremento de 5,28%.

O consumo no mercado cearense começou em queda em janeiro de 2014, mas evoluiu nos meses seguintes, com altas entre 3% e 4% na comparação a igual período do ano anterior. Já no segundo semestre do último ano, o aumento ficou em torno de 8%.

O desempenho está ligado ao maior consumo de gasolina (tipo C), que responde por 38% do total de combustíveis vendidos no Ceará. O derivado de petróleo obteve incremento de 11% nas vendas, o que representou um volume de 132 milhões de litros a mais, no comparativo com 2013. Foram, ao todo, 1,3 bilhões de litros comercializados.

O óleo diesel, que tem o segundo maior volume consumido no Estado (33% do total), cresceu de forma mais modesta (4,2%), mas, ainda assim, foi responsável por um acréscimo de 46,7 milhões de litros sobre 2013, alcançando 1,1 bilhão de litros.

Etanol

Já o etanol, mesmo se mantendo menos vantajoso economicamente que a gasolina durante todo o ano passado nos postos cearenses, garantiu um aumento de 12,3% sobre o ano anterior, registrando 109 milhões de litros vendidos – quantidade que participa com 3,1% do mercado.

O GLP (gás liquefeito de petróleo), por sua vez, obteve alta de 4,7% no ano passado. Tendo 485 mil metros cúbicos comercializados, o conhecido gás de cozinha participou com 14% do total revendido em território cearense.

O óleo combustível foi o que apresentou a maior variação percentual sobre 2013, com elevação de 32,1% nas vendas, alcançando 190 milhões de litros. O querosene de aviação (QAV) teve comercializados 222 milhões de litros, 20% a mais que em 2013. Já a gasolina de aviação teve as vendas praticamente estáveis (0,7%), com pouca representatividade no geral: apenas 822 mil litros vendidos. O único combustível que registrou queda nas vendas no comparativo com o ano anterior foi o querosene iluminante, que teve sua comercialização reduzida de 111,8 mil para 12,8 litros, um decréscimo de 88,6%.

Cenário nacional

No mercado nacional, a venda de combustíveis cresceu 5,3% em 2014. O diesel, que responde por mais de 40% da comercialização de combustíveis do Brasil, cresceu 2,5%, atingindo 60 bilhões de litros.

Com isso, a dependência do País da importação do derivado de petróleo aumentou em 9,8%. O Brasil precisou importar 10,8 bilhões de litros no ano passado. Já as vendas de gasolina (que representam 30% do mercado) tiveram incremento de 7,1% e atingiram 44,3 bilhões de litros.

Durante o X Seminário de Avaliação do Mercado de Derivados de Petróleo e Biocombustíveis da ANP, realizado na sede agência, no Rio de Janeiro, o diretor Florival Carvalho apresentou esses números e defendeu o setor: "Esse crescimento acima do PIB (Produto Interno Bruto) mostra o forte vigor do consumo de combustíveis no País".

Sérgio de Sousa
Repórter

Negócios