Trinta são raptadas em dois países

By | 11/02/2015

Koza. O grupo radical islâmico Boko Haram sequestrou pelo menos 30 pessoas, incluindo oito meninas, e matou sete reféns em dois ataques a ônibus na região fronteiriça entre Camarões e Nigéria desde domingo (8).

Segundo autoridades camaronesas informaram ontem, as meninas, de idades entre 11 e 14 anos, foram capturadas na cidade de Koza, a 18 km da fronteira com a Nigéria. Outros sete reféns foram mortos e os corpos encontrados na fronteira. Do lado nigeriano, os extremistas islâmicos invadiram um ônibus no vilarejo de Bama, capturando outras 20 pessoas, incluindo mulheres e crianças. Ainda não se sabe o paradeiro dos reféns das duas ações.

Até o início do ano, o Boko Haram tinha limitado seus atentados à Nigéria, especialmente nos estados de Borno, Adamawa e Yobe, no norte, mas desde janeiro começou uma nova campanha de ataques nos vizinhos Camarões, Chade e Níger.

A União Africana decidiu em sua última assembleia criar uma força regional de 7.500 soldados para combater o avanço do grupo jihadista, e o Chade já enviou centenas de soldados para o norte de Camarões e Nigéria.

Ontem, foi a vez de o Parlamento do Níger aprovar por unanimidade o envio de tropas para o norte nigeriano.

Nos últimos dias, o país concentrou mais de 3.000 soldados na região sulista de Diffa, na fronteira com a Nigéria, aguardando a aprovação parlamentar para lançar a ofensiva. Em resposta ao desdobramento de tropas nigerianas, camaronesas e chadianas, o líder de Boko Haram, Abubakar Shekau, publicou um vídeo no YouTube apontando "a inutilidade" da força regional.

Mortes no Níger

Um ataque a bomba realizado pelo grupo militante Boko Haram na cidade fronteiriça de Diffa, no Níger, matou cinco pessoas e feriu gravemente outras cinco, afirmaram à Reuters duas fontes de segurança. Há contradição entre as fontes, uma delas diz que a causa da explosão foi uma mulher-bomba. Outra afirmou se tratar de carro-bomba.

Internacional