Tombini: economia não deve crescer este ano

By | 08/02/2015
Alexandre Tombini em coletiva de imprensa concedida nesta quinta-feira (27/11) (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)

Convencer autoridades internacionais de que o Brasil está adotando medidas corretas para restaurar a confiança é a principal meta do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, na reunião das 20 maiores economias do mundo que acontece a partir desta segunda-feira (09/02), na Turquia. Para Tombini, as medidas fiscais adotadas pelo governo são importantes para reforçar a confiança, o que poderá permitir o aumento do investimento e redução das expectativas futuras de inflação.

"Primeiro de tudo, eu tenho a ambição de convencer vocês que temos a agenda certa para melhorar a confiança no Brasil nos próximos anos e de que as políticas que estamos implementando hoje irão criar uma melhor perspectiva econômica para o médio prazo, começando em 2016", disse Tombini durante seminário do Instituto Internacional de Finanças (IIF), evento paralelo à reunião de ministros de economia e presidentes de bancos centrais das 20 maiores economias do mundo, o G-20.

Ao ser questionado sobre as perspectivas econômicas para 2015, o presidente do BC usou palavras do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e chancelou a previsão de que o Brasil deve ter crescimento próximo de zero em 2015. "Como o ministro Levy disse, esse ano (o crescimento) tende a ser estável (flat, em inglês), disse.

Revista Época Negócios