Situação da água no Sudeste é preocupante, diz ministra

By | 23/01/2015
Izabella Teixeira (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, afirmou na noite desta sexta-feira (23/01), que a situação de abastecimento de água no Sudeste é "sensível e preocupante", em particular no Estado de São Paulo.

"O que vem ocorrendo no Sudeste é totalmente atípico. (Os níveis dos reservatórios) estão abaixo do ano passado e muito aquém do que é registrado desde a década de 30", afirmou. "Nunca se viu no Sudeste brasileiro uma situação tão sensível e preocupante", concluiu a ministra, que foi escalada para dar um informe à imprensa sobre uma reunião coordenada pela Casa Civil sobre a crise hídrica no país.

Empresa vai extrair água do ar da Amazônia

Ela ponderou que foram apresentados dados meteorológicos que indicaram a possibilidade de chuva na região nos próximos 10 dias, mas que, apesar da notícia positiva, ainda é preciso ver se isso "vai acontecer de fato e com qual volume".

Além de Izabella e do titular da Casa Civil, Aloizio Mercadante, participaram do encontro no Palácio do Planalto Eduardo Braga (Minas e Energia), Nelson Barbosa (Planejamento), Gilberto Occhi (Integração Nacional), Tereza Campello (Desenvolvimento Social) e Patrus Ananias (Desenvolvimento Agrário).

Izabella ressaltou que a competência para o abastecimento de água é dos Estados, e não da União. Disse, entretanto, que o governo tem trabalhado em parceria com as unidades da federação para garantir a solução do problema, com "medidas técnicas" e "apoio financeiro para obras emergenciais".

Como exemplo, a ministra citou a autorização dada pela presidente Dilma Rousseff para incluir o projeto de interligação do reservatório Jaguari-Atibainha na carteira do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Racionamento
Segundo Izabella, a reunião ministerial não tratou do limite dos reservatórios nem de quanto o abastecimento no Sudeste duraria. Questionada se poderia haver racionamento, ela afirmou que quem opera os sistemas e pode dar esse tipo de determinação são os governos estaduais.

"Ainda estamos em período de chuva. É importante poupar água e energia para ajudar em uma situação totalmente atípica", disse. Ela explicou que a reunião tratou de cenários de possíveis chuvas e afirmou que a duração do abastecimento depende de cada operação.

Izabella Teixeira afirmou ainda que o ministério do Meio Ambiente vai apresentar uma proposta de campanha nacional de uso racional de água e energia.

Revista Época Negócios