Setor de serviços cresce 3,7% em novembro, o menor da série histórica

By | 22/01/2015

O setor de serviços fechou o mês de novembro do ano passado com crescimento nominal de 3,7%, o menor resultado da série histórica iniciada em janeiro de 2012, nessa base de comparação. O crescimento do setor, em outubro de 2014, foi 5,2% do crescimento nominal. 

Com esse resultado, o setor fecha o período de janeiro a novembro com crescimento acumulado de 6,2% e a expansão acumulada nos últimos 12 meses (taxa anualizada) em 6,4%.

Os dados fazem parte de Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgados hoje (22) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo a pesquisa, os serviços prestados às famílias apresentaram crescimento de 4,4%; os serviços de informação e comunicação expandiram 1%; os serviços profissionais, administrativos e complementares, 6,6%; transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio, 3,9% e outros serviços, 6,4%.

A Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), primeiro indicador conjuntural mensal que avalia o comportamento do setor, abrange as atividades do segmento empresarial não financeiro, exceto os setores da saúde, educação, administração pública e aluguel imputado (valor que os proprietários teriam direito de receber se alugassem os imóveis onde moram).

Segundo o IBGE, os fatores que mais contribuíram para que o resultado do mês de novembro fosse inferior ao de outubro deveu-se a expansão de 1% nos serviços de informação e comunicação (inferior às taxas de 2,1% de outubro e 2,7% de setembro), combinado com a taxa de 6,6% nos serviços profissionais, administrativos e complementares (inferior às taxas de 11,3% de outubro e 11% de setembro).

Os serviços de informação e comunicação, atividade de maior peso na estrutura de formação da taxa global da PMS (35,7%), diminuíram a participação relativa de 13,5%, em outubro, para 8,1%, em novembro. Da mesma forma, os serviços profissionais, administrativos e complementares, com peso de 20,5%, reduziram sua participação relativa de 44,2%, em outubro, para 37,9%, em novembro.

Também apresentaram redução na participação relativa os serviços prestados às famílias, de 9,6% para 8,1%, e os outros serviços, de 13,5% para 10,8%. Os transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio, com peso de 30,7%, aumentaram a participação relativa de 19,2%, para 35,1%.

Os serviços prestados às famílias variaram de 4,4% em novembro de 2014 sobre igual mês de 2013, inferior às taxas de outubro (6,8%) e setembro (7,7%). No que diz respeito às taxas acumuladas, ocorreu variação de 9,2%, tanto na taxa acumulada no ano quanto em 12 meses. Já os serviços de alojamento e alimentação apresentaram crescimento de 4,7% e outros serviços prestados às famílias, 2,4%.

Ultima Hora