Setor de chocolates mostra otimista com a Páscoa

By | 21/01/2015

São Paulo. Apesar da piora no cenário macroeconômico, fabricantes e lojas do setor de chocolates esperam crescimento no faturamento de suas vendas na Páscoa em 2015.

Segundo executivos das principais empresas do País, mesmo com o aumento da inflação e o reajuste dos preços dos produtos, a estimativa é de que a sazonalidade do período garanta um ganho de receita.

"A Páscoa é um bom termômetro e tem um peso importante para as vendas da categoria de chocolates no ano", salienta Pedro Abondanza, gerente de marketing da Nestlé.

Dentre as marcas, a Cacau Show é a mais otimista e espera que as vendas na Páscoa ajudem a marca a alcançar um crescimento de 25% no faturamento em 2015. De acordo com o presidente da companhia, Alexandre Costa, parte desse aumento deve vir da expansão do número de lojas. Neste ano, a empresa pretende abrir 2 mil novas lojas.

O Grupo CRM, dono das marcas Kopenhagen e Chocolates Brasil Cacau, estima um crescimento de 14% na receita. Já a Arcor espera uma expansão mais tímida para seu faturamento. Segundo Nicolas Seijas, gerente de marketing de chocolates da companhia, a projeção é ter um crescimento de 5% neste ano.

Além do baixo crescimento econômico e da redução de compra, empresas enfrentam um aumento de custos, como a desvalorização do real frente ao dólar que encareceu as importações da commodity.

Negócios