Retirada de óleo vegetal do Rio Cocó será concluída na segunda-feira, 16

By | 15/02/2015

A tarefa de retirada do óleo que escoou para o Rio Cocó em virtude de colisão entre duas carretas, na madrugada da sexta-feira, 13/02, na Av. Raul Barbosa, já está sendo realizada desde o dia do acidente. O trabalho teve sequência no sábado, 14, e, neste domingo, 15. O grupo responsável pela limpeza do óleo vegetal no rio concluiu mais uma parte dessa ação para evitar maior dano ambiental no trecho afetado.

"A pista que também recebeu óleo foi lavada, limpa e em seguida a gente partiu para o canal, com autorização do Ibama, que repassou todas as coordenadas para que a limpeza fosse efetuada da forma correta", disse o engenheiro de meio ambiente Augusto Garcia, um dos coordenadores do grupo que faz a retirada do óleo vegetal que vazou para o rio.

"Esse material está sendo coletado, será feita uma mix com areia, ou seja, o óleo retirado será misturado com areia, o que chamamos de ‘blendado’ e em seguida encaminharemos o material para o Aterro Metropolitano de Caucaia", prosseguiu o engenheiro de meio ambiente, que ressaltou que esse é um material não-perigoso, bio-degradável. É óleo de cozinha – classe 2. "E o que estamos fazendo é um trabalho dentro da realidade ambiental", ressaltou Garcia.

Vazamento não teve efeito muito danoso para o Rio Cocó

O engenheiro do meio ambiente Augusto Garcia frisou que o óleo que vazou não afetou muito o rio. "Por estarmos na área quase da foz do rio e a confluência das águas marinhas, isso faz com que a água ao invés de seguir o caminho do mar, se dirige para o caminho do canal. O óleo que vazou está sento todo contido, pois existem barreiras de contenção, e a própria vegetação na área afetada serve como linha de filtragem do material que escoou para o rio".

28 homens participaram da 1ª etapa da limpeza do óleo do Rio Cocó, na sexta-feira. No sábado, 18 homens atuaram nessa tarefa. "E, neste domingo, seguimos com um grupo de 18 trabalhadores atuando na limpeza do rio. Por se tratar de um trabalho especializado, demanda um pouco de tempo, até para não atrapalhar as condições da área", disse Garcia.

Além do engenheiro do meio ambiente Augusto Garcia, outros técnicos da empresa proprietária da carreta da qual vazou o óleo para o Rio Cocó cooperam na tarefa de limpar o rio, além da logística para a tarefa. "Eu acredito que nesta segunda-feira, 16, o trabalho esteja concluído. O material será entregue no aterro", informou Garcia, que voltou a ressaltar estarem sendo seguidas as instruções repassadas pelo Ibama nesse trabalho.

Segundo Garcia, o Ibama solicitou, primeiramente, que fosse realizada a contenção desse óleo, numa região que não permita avançar para o leito do rio; fazer a coleta do óleo, o que está fazendo; e terceiro, destinar corretamente os resíduos que são gerados nessa operação.

Ultima Hora