Receita registra R$ 1,8 bilhão em apreensões em 2014

By | 13/02/2015
A Receita Federal apreendeu R$ 1,8 bilhão em mercadorias nas fronteiras, portos, aeroportos e centros de distribuição do país no ano passado, valor 7,11% superior às apreensões feitas em 2013.
Só de cigarros contrabandeados, foram R$ 515,3 milhões barrados pela Receita, valor 0,83% maior do que no ano anterior, segundo dados divulgados nesta sexta (13) pelo órgão.
A Receita ampliou em 64,7% a detecção de contrabando de roupas -foram R$ 94,3 milhões apreendidos. A demanda por esses produtos e a oferta explicam esse fluxo, informou o subsecretário de Aduana e Relações Internacionais da Receita, Ernani Checcucci.
Eletrônicos, veículos e óculos de sol também estão entre os produtos mais contrabandeados detectados pela Receita.
O valor das apreensões de 2014 só não foi maior do que o verificado em 2012, quando houve um resultado "atípico" de R$ 2 bilhões em função de uma operação que deflagrou irregularidades da ordem de R$ 400 milhões em aeronaves.
A Receita leiloa e doa as mercadorias que podem ser aproveitadas, e destrói produtos falsificados, cigarros e outros.
 
Aeroportos
 
Nos aeroportos, a Receita identificou R$ 250,1 milhões em mercadorias de viajantes que chegavam do exterior tentando não declará-las.
Essa fiscalização foi feita por meio do controle eletrônico de bens, sistema que está em vigor desde agosto de 2003, em que o viajante pode fazer a declaração espontânea, on-line, de suas compras no exterior.
Segundo a Receita, os turistas residentes no Brasil declararam R$ 2,5 bilhões em bens de forma espontânea por meio desse sistema no ano passado.
"Temos percebido uma procura mais automática pelo viajante da regularização espontânea", afirmou Checcucci. Pelo sistema, o viajante pode fazer declaração antecipada para Receita, tendo a opção de pagar por meio de débito os impostos e eventuais multas.
 
Copa do Mundo
 
Segundo a Receita, os aeroportos brasileiros tiveram 20,23 milhões de passageiros, 2,2% a mais em relação a 2013.
Esse aumento se explica pela Copa do Mundo, que atraiu turistas para o país, e também ampliou a entrada de alguns produtos ilícitos.
A Receita mais que dobrou a apreensão de ecstasy no país – foram 248 mil comprimidos, enquanto que em 2013 foram 110 mil. A droga geralmente entra no país por aeroportos. Esse número não leva em conta as apreensões da Polícia Federal.
A Receita lembra que turistas podem entrar com até US$ 500 em mercadorias sem pagar impostos, estando sujeito a cobrança de 50% sobre o valor excedente em impostos e de multa. Por navio, a cota de isenção é de US$ 300.
 
 
Remessas
 
As remessas postais cresceram 3,7% em 2014 em comparação com 2013. Foram 21,6 bilhões de encomendas, cartas, pacotes e documentos entrando no país por meio do sistema regular de correio.
A Receita não especificou, mas boa parte desse volume se deve ao comércio eletrônico e as importações da China.

Negócios