Reabertura total do Engenhão é adiada para julho

By | 23/01/2015

A reabertura total do Engenhão para o público foi adiada para julho. E ela ocorrerá com obras em curso. O novo cronograma foi divulgado nesta sexta-feira (23), após reunião entre equipe da Prefeitura do Rio e dirigentes do Botafogo, que administra o estádio.

De acordo com o secretário municipal Pedro Paulo (Coordenação de Governo), as obras de reforço da cobertura só serão concluídas em julho. A previsão inicial era que tudo estivesse pronto até o fim de novembro.

O Engenhão foi fechado em março de 2013 após laudo da empresa alemã SPB indicar que a cobertura corria o risco de desabar em caso de ventos fortes. A obra está sendo paga pelo Consórcio Engenhão (Odebrecht/OAS), que concluiu a construção do estádio em 2007. O valor da intervenção não foi informado.

O secretário afirmou que o atraso se deve ao "desafio de engenharia que é essa obra". Ele disse que outros problemas foram detectados no transcorrer dos trabalhos. "Mudou-se toda a engenharia da cobertura", disse Pedro Paulo.

Contudo, o alvinegro carioca manteve para este sábado (24) a partida amistosa contra o clube chinês Shandong Luneng. Ela ocorrerá com portões fechados, mas com presença da imprensa e transmissão para a TV.

O clube decidiu também adiar seu primeiro jogo com torcedores na arena. Em vez de ocorrer no domingo (1º), a partida reinaugural será no dia 7 de fevereiro, contra o Bonsucesso.

Os dirigentes do Botafogo decidiram adiar a volta ao estádio temendo problemas no acesso dos torcedores em razão das obras que ocorrem no entorno do Engenhão. A prefeitura havia garantido a conclusão até o dia 31, mas o clube optou por postergar a reestreia.

"A decisão foi para respeitar o Estatuto do Torcedor que exige a definição do local do jogo com dez dias de antecedência. O clube é o responsável pelo que pode acontecer com o torcedor", disse o presidente do Botafogo, Carlos Eduardo.

A capacidade para o primeiro jogo será de 20 mil lugares, já que apenas os anéis inferiores estarão liberados. Outros 5.000 assentos dos anéis superiores serão usados a partir de abril. A reabertura de todos os 45 mil lugares ocorrerá apenas em julho, segundo o novo cronograma.

No entanto, a prefeitura deve começar outra obra no Engenhão ainda no primeiro semestre. O estádio terá a pista de atletismo e iluminação trocados, além de melhorias hidráulicas, de acabamento e energia. As intervenções serão feitas para a Olimpíada de 2016. O custo está estimado em R$ 52 milhões.

De acordo com Pedro Paulo, essas intervenções não vão impactar na reabertura das arquibancadas ou exigir o fechamento do estádio. O Botafogo terá de entregar a arena ao COI (Comitê Olímpico Internacional) no fim do ano.

Ultima Hora