Presidente manterá execuções

By | 28/01/2015

Jacarta. O presidente da Indonésia, Joko Widodo, afirmou à rede CNN ontem, que não pretende abolir a pena de morte em caso de tráfico de drogas, apesar da pressão da comunidade internacional. Desde que assumiu o cargo, em outubro de 2014, seis prisioneiros foram executados por fuzilamento, entre eles o brasileiro Marco Archer e um cidadão holandês.

O chefe de Estado indonésio não acatou pedidos de clemência vindos das duas nações, o que motivou Brasil e Holanda a chamar de volta do país asiático seus embaixadores, em sinal diplomático de insatisfação.

A Austrália ameaça fazer o mesmo se não for dada clemência a dois de seus cidadãos que estão presos por tráfico.

Internacional