Nível do sistema Cantareira mantém-se estável em 5,1%

By | 31/01/2015
Sistema Cantareira; Nazaré Paulista (Foto: Reuters)

Quatro dos seis reservatórios que abastecem a capital paulista e a região metropolitana tiveram queda no nível de água no mês de janeiro, afetados pelas temperaturas elevadas e pelo volume de chuvas abaixo da média. A queda em janeiro atingiu os sistemas Cantareira, Alto Tietê, Alto Cotia e Rio Claro. As exceções foram os sistemas Guarapiranga e o Rio Grande, cujas reservas cresceram neste mês. Os dados fazem parte do monitoramento realizado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

O Sistema Cantareira chegou ao último dia de janeiro com apenas 5,1% de sua capacidade. Apesar de se manter estável pelo sexto dia consecutivo, o nível do reservatório está abaixo do verificado há exatamente um mês, em 31 de dezembro, quando detinha 7,2% de sua capacidade. A chuva sobre o Cantareira em janeiro acumulou 148,2 milímetros (mm), o equivalente a pouco mais da metade (54,6%) da média histórica no mês.

O Alto Tietê está com 10,8% de sua capacidade, mostrando aumento em relação a ontem, quando marcou 10,6%. No entanto, houve queda em comparação com o fim de dezembro, quando estava em 12,2%. A chuva sobre o Alto Tietê acumulou 103,8 mm, o equivalente a 41,3% de média histórica de janeiro.
 

O Alto Cotia foi para 28,4%, patamar abaixo de ontem (28,5%) e de um mês atrás (31,5%). O Sistema Alto Cotia foi o que teve a maior escassez de chuvas em janeiro, ficando com apenas 34,4% da média histórica. Já no Sistema Rio Claro, a reserva atingiu 28,3%, nível inferior ao de ontem (25,6%) e de um mês atrás (33,0%). A chuva sobre o Sistema Rio Claro em janeiro alcançou 84,4% da média histórica.

Recuperação
O Sistema Guarapiranga, por sua vez, teve recuperação de sua reserva em janeiro, favorecido por chuvas acima da média. O Guarapiranga chegou ao fim de janeiro com 48,1% de sua capacidade. Houve queda frente o nível de ontem (48,2%), mas crescimento em comparação com um mês atrás (40,6%). A chuva em janeiro foi de 248,0 mm, ou 108,1% da média histórica.

O reservatório do Sistema Rio Grande também aumentou em janeiro, chegando a 74,7% ante 72,1% há um mês. A chuva na região foi de 245,2 mm, um pouco abaixo da média histórica (97,4%).

Revista Época Negócios