Ministério da Saúde anuncia novo edital de residências em medicina de família

By | 10/02/2015

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, anunciou nesta segunda-feira (9), no Rio de Janeiro, novo edital que irá financiar cerca de 300 bolsas de residência na área de medicina geral de família e comunidade, pagas por instituições, estados e municípios com recursos próprios.

“Sabemos como é difícil para algumas prefeituras, instituições e governos estaduais manter por conta própria, com qualidade, a oferta de  bolsas de residência. Vamos possibilitar que esses programas tenham financiamento bancado pelo Ministério da Saúde, permitindo a ampliação do número de vagas, tanto para aqueles que já atuam, como para quem tope ofertar residências”, comentou.

O secretário de Saúde municipal, Daniel Soranz, adiantou que pretende pleitear o financiamento das 40 vagas de residência em medicina de família que a prefeitura paga por conta própria. Ele explicou que a prefeitura oferece 730 bolsas de residência, sendo 100 vagas em medicina de família e comunidade, com salário de R$ 10 mil, para torná-la mais atrativa.

“Nenhuma outra residência tem dificuldade para prover candidatos. Precisamos de mais 800 profissionais na área de família e comunidade, que tem o maior déficit na rede. Essa complementação é um atrativo financeiro para que os médicos de família venham para o Rio de Janeiro”. O secretário explicou que espera com isso mudar a cultura brasileira de formação médica centrada no hospital, que causa a carência de médicos na atenção básica. O Rio tem 49% de cobertura do Saúde da Família, e a meta da prefeitura é chegar a 70% até 2016.

O edital será aberto nesta terça-feira (10), no site do ministério, e ficará aberto durante o mês de fevereiro. Segundo Chioro, nesta terça também será anunciado no site o resultado do edital do Programa Nacional de Bolsas para Residência em Área Profissional da Saúde (Pró-Residência em Saúde-2015) que ofereceu 1.048 bolsas para candidatos ao primeiro ano, sendo 25% delas para a área de família e comunidade. Até o momento foram disponibilizadas mais de 5,5 mil bolsas de residência em todo o País.

O secretário de Gestão do Trabalho e Educação do Ministério da Saúde, Heider Pinto,  informou que todos os pedidos por bolsas na área de família e comunidade do edital Pró-Residência em Saúde foram aprovados. “Tanto as vagas novas como as de expansão. Além disso, todas as residências foram aprovadas nas regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e, no caso do Sudeste, o Espírito Santo, onde temos um vazio de formação em residência”, disse ele. No restante do País foram aprovadas bolsas nas 27 áreas prioritárias para o Sistema Único de Saúde, como dermatologia e anestesia.

O edital aprovou mais dez bolsas para instituições na capital fluminense e 42 no estado. O financiamento federal em todo o Rio alcança 130 bolsas no primeiro ano. Os valores mensais são de aproximadamente R$ 3 mil por mês. Ao todo, o ministério investiu R$ 37,7 milhões para o pagamento das novas bolsas de residência médica.

O ministro da saúde ressaltou que investir na qualificação de novos cursos de medicina, de forma descentralizada, é uma das prioridades do governo. A meta do governo é criar 11,5 mil novas vagas de graduação em medicina até 2017, com ênfase nas cidades sem faculdades com essa especialidade. Já foram autorizadas mais de 4,4 mil vagas desde a promulgação da Lei dos Mais Médicos, em outubro de 2013.

Ultima Hora