Manoel Dias minimiza resultados de dezembro

By | 24/01/2015

Brasília. O ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, minimizou ontem o fraco resultado da geração de empregos no Brasil em 2014. Ele justificou que o ano teve peculiaridades como Copa do Mundo e eleições. No ano, foram criadas 397 mil vagas. "Houve uma campanha de que a Copa não seria realizada, o que gera um insegurança e retrai o investidor. Também tivemos eleições acirradas e criaram uma ideia de que o Brasil vivia uma crise, estava quebrando. Isso criou uma expectativa em alguns setores", disse.

O ministro viu o resultado de forma positiva: "O que é importante é que nós continuamos acrescentando postos de trabalho no estoque". Sobre dezembro, que teve o pior resultado para o mês desde 2008, com menos 555 mil vagas, Dias afirmou que o período tem uma grande queda no número de postos.

Reflexo dos investimentos

Apesar de já ter previsto a criação de 6 milhões de vagas no primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff, Dias comemorou o resultado de 5,3 milhões de novos postos entre 2011 e 2014. "Cinco milhões foi espetacular. O mundo está em crise", disse. Para 2015, Dias é otimista e afirma que o País verá os resultados de investimentos em infraestrutura se refletirem no mercado de trabalho.

Negócios