Malinês recebe cidadania francesa

By | 21/01/2015

Paris Um malinês considerado herói por salvar a vida de reféns quando um militante islâmico atacou um supermercado judeu em Paris neste mês recebeu a cidadania francesa ontem.

Lassana Bathily, de 24 anos, participou de uma cerimônia lotada para a concessão da naturalização acompanhado do ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, e do primeiro-ministro do país, Manuel Valls.

"Estou tão feliz por ter dupla nacionalidade", disse Bathily, sorrindo, que também recebeu uma medalha por seus atos. "Viva a liberdade, a solidariedade, vida longa à França".

Bathily, que chegou à França vindo do Mali em 2006, foi elogiado por salvar muitas vidas no ataque de 9 de janeiro em que quatro pessoas morreram no mercado no leste de Paris.

Apontado por Cazeneuve e Valls como um modelo de decência e valores republicanos, Bathily tentou obter a nacionalidade francesa durante anos. Ele recebeu seu novo passaporte pelas mãos de Valls ontem.

O funcionário estava no setor de armazenamento na parte de trás do mercado quando Amedy Coulibaly, o militante islâmico depois morto pela polícia, invadiu a loja. O malinês, que havia trabalhado no local por quatro anos, colocou os clientes numa câmara de armazenamento a frio, onde esperaram o ataque acabar e ficaram a salvo.

Chechenos presos

A polícia prendeu cinco chechenos no sul da França sob suspeita de que preparavam um ataque, disse uma fonte policial ontem, quase duas semanas depois de extremistas islâmicos matarem 17 pessoas em três dias de violência na capital francesa.

A fonte disse que quatro deles foram presos em Montpellier e um quinto em Beziers.

Internacional