Impressão 3D vai conquistar metade da indústria

By | 20/01/2015
Impressora 3D (Foto: Thinkstock)

Nos próximos três anos, nada menos que a metade da indústria pesada, de manufatura e de ciências médicas deverá aderir à impressão 3D, tecnologia que já vem causando uma verdadeira revolução no setor. A previsão é de um estudo do Gartner Group , que também detecta a expansão dessa tecnologia entre as pequenas empresas e, em consequência, do florescimento de serviços e técnicos especializados para orientar os usuários sobre a impressão 3D. Basicamente, as impressoras 3D se conectam a modelos computacionais e criam o objeto desejado, camada por camada. Esses objetos geralmente são feitos de um só material, seja plástico, metal, cerâmica ou fibras de carbono.

O Gartner pesquisou 330 empresas com mais de 100 funcionários, que destacaram como principal vantagem da impressão 3D a possibilidade de redução de pelo menos 4% nos custos de produção – mas com perspectivas de reduções ainda maiores, sobretudo nas áreas de pesquisa e desenvolvimento de protótipos. Apesar do alto crescimento previsto até 2018, atualmente apenas uma minoria de empresas já utiliza a tecnologia: 37% das pesquisadas têm apenas uma impressora e só 18% dispõem de dez ou mais.

Uma das razões é o preço: embora uma impressora 3D para usuários individuais possa custar menos de US$ 1 mil, para a indústria, que requer precisão e produção em larga escala do mesmo objeto, o custo dessa tecnologia ainda é alto – e esta preocupação é apontada por 60% das empresas pesquisadas. Umas das opções detectadas pelo estudo para contornar essa questão é criar parcerias com empresas especializadas em impressão 3D para testar produtos e avaliar seus benefícios antes de adquirir o equipamento, otimizando assim os investimentos realizados.

Neste mercado promissor, o Gartner destaca que, para estimular a adoção da tecnologia, os fornecedores de impressoras 3D devem atentar para a importância de utilizar ferramentas de comunicação e marketing para esclarecer como deve ser aplicada e também para ressaltar suas vantagens competitivas. O estudo já fornece alguns argumentos: 37% das empresas entrevistadas consideram que a qualidade do produto final é o principal benefício da impressão 3D, enquanto 28% consideraram o preço como fator preponderante. Apenas 9% das empresas destacaram a rapidez do método e as vantagens dos materiais utilizados.


Inspirada pelo escritor Isaac Asimov, a GE criou a “Próxima Lista”, elencando as tecnologias que devem revolucionar o futuro até 2064 – e que também orientam os trabalhos de pesquisa de seus mais de 3.000 cientistas. Fábricas Extraordinárias é um dos seis itens da “Próxima Lista”. Saiba mais assistindo ao vídeo:

Produto de uma nova revolução industrial, essas Fábricas Extraordinárias estarão conectadas umas às outras, num ambiente de produção pautado pela colaboração. Um elemento importante dessas Fábricas Extraordinárias é a impressão 3D. Peças e componentes de máquinas que precisem de substituição serão impressas rapidamente, reduzindo tempos de parada e também a necessidade de manter estoques de peças sobressalentes. Conheça mais detalhes sobre o tema no vídeo: 

Revista Época Negócios