Falta de energia afeta área central em Brasília

By | 21/01/2015
Uma nova falha no fornecimento de energia elétrica afetou a área central de Brasília na tarde desta quarta-feira (21). A interrupção, que segundo a empresa de distribuição local, CEB, começou às 13h29, ainda não foi completamente resolvida.
 
De acordo com a empresa, o problema foi local. Um dos três transformadores da subestação Nº 2, localizada na 704/904 Sul, apresentou defeito e acabou desligando toda a subestação. A CEB destaca que às 13h47 praticamente todo o fornecimento de energia havia sido restabelecido.
 
A falha afetou o Hospital de Base, o Setor Comercial Sul, o Setor Bancário Sul, o Setor de Autarquias Sul, Setor de Rádio e Televisão Sul, o Shopping Pátio Brasil, além das quadras SQS 102 a 104 e SQS 302 a 304.
 
Outras áreas, como o Centro de Convenções, Torre de TV , Brasil XXI, Ed.Parque Corporate também ficaram sem energia e o fornecimento nesses locais ainda não foi restabelecido. A empresa diz que está trabalhando para retomar o funcionamento normal da subestação.
 
Apagão de segunda
 
Na última segunda-feira (19), um apagão de grandes proporções fez acabar a energia em 11 estados mais o Distrito Federal. O problema ocorreu às 14h32, após um pico de consumo de luz no País.
 
Ao comentar o assunto, diretores da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) disseram que esse elevado consumo se dá pelo forte calor e intenso uso do ar condicionado que vem sendo feito nas cidades brasileiras. O ministro Eduardo Braga (Minas e Energia) disse, aliás, que "não houve falta de energia".
 
O problema teria ocorrido por uma falha na Linha Norte e Sul, após uma variação de frequência. Por este motivo, o ONS (Operador Nacional do Sistema) determinou um corte de carga, com objetivo de minimizar os efeitos e a área afetada.
 
Depois do apagão, porém, o governo anunciou que vai aumentar a "alimentação" de energia no Sudeste do país, fazendo uso, por exemplo, de usinas da Petrobras que estavam passando por revisão técnica. A aceleração do processo de retorno dessas unidades para a rede elétrica foi considerado como parte do "esforço" do governo para dar mais segurança ao sistema.

Negócios