Estoque de crédito atinge R$ 3 trilhões, informa BC

By | 28/01/2015

Brasília. O estoque de operações de crédito do sistema financeiro nacional cresceu 2% em dezembro ante novembro e chegou pela primeira vez a R$ 3 trilhões, num total de R$ 3,021 trilhões, como informou ontem o Banco Central, ao divulgar a Nota de Política Monetária e Operações de Crédito. No acumulado do ano, houve avanço de 11,3%. Em dezembro de 2013, o estoque de operações de financiamento estava em R$ 2,715 trilhões e, um ano antes, em R$ 2,368 trilhões.

Houve aumento de 2,2% para pessoas jurídicas e de 1,8% para o consumidor em dezembro em relação a novembro. No ano, a elevação foi de 9,8% para as empresas e de 13,0% para a pessoa física. Segundo o BC, o estoque de crédito livre cresceu 1,7% no mês e 4,7% no ano. O direcionado, aumentou 2,4% em dezembro ante novembro e foi ampliado em 19,6% em 2014.

No crédito livre, houve crescimento de 1,5% para pessoas físicas em dezembro e de 5,5% no acumulado do ano. Para as empresas, no crédito livre, houve aumento de 1,9% em dezembro e alta de 3,9% em 2014.

Segundo o BC, o total de operações de crédito em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) passou de 58% em novembro para 58,9% no mês passado. No fechamento de 2013, estava em 56% e, um ano antes, em 53,9%.

Concessões

A média diária de concessões de crédito livre subiu 6,5% em dezembro ante novembro, para R$ 14 bilhões. A alta em 2014 foi de 5,2%. No encerramento de 2013, a média diária de concessões foi de R$ 14,1 bilhões e, um ano antes, de R$ 13 bilhões.

No crédito direcionado, a média avançou 26,7% na comparação mensal, levando à alta do ano para 6%. Esse montante do crédito direcionado somou R$ 2,8bilhões no mês passado. Em dezembro de 2013 era de R$ 2,9 bilhões, assim como no último mês de 2012.

Inadimplência

A taxa média de inadimplência no crédito livre caiu a 4,8% em dezembro ante 4,9% de novembro, segundo o BC. Ao longo do ano passado, o patamar do nível de calote ficou entre 4,8% e 5,0% em todos os meses. Em dezembro de 2013, a taxa encerrou em 4,7% e um ano antes em 5,6%. Em dezembro de 2011, estava em 5,46%. Para pessoa física, a taxa de inadimplência passou de 6,6% para 6,5% na comparação mensal.

Negócios