Embaixador iraquiano afirma que Estado Islâmico financia suas atividades com o tráfico de órgaos

By | 18/02/2015

Mohamed Alhakim, embaixador iraquiano na ONU,  disse ao Conselho de Segurança da organização que o Estado Islâmico financia parte de suas atividades a partir do tráfico de órgãos. Segundo o jornal O GLOBO, Mohamed alegou que corpos de vítimas do grupo radical começaram a ser encontrados recentemente com incisões cirúrgicas e com órgãos faltando. O diplomata ainda alegou que pelo menos dez médicos que se recusaram a participar do esquema foram mortos pelos jihadistas.

"Temos corpos. Venham e examinem. É certo que têm partes faltando" disse o embaixador iraquiano.

Nikolay Mladenov, enviado da ONU ao Iraque, relatou que ao menos 790 pessoas foram mortas em janeiro pelo grupo. Ele confirmou a declaração e afirmou que a prática da coleta de órgãos está cada vez mais presente.

Recentemente, pelo menos 45 pessoas foram mortas queimadas vivas em Kirkuk, no Iraque. Em Raqqa, na Síria, o mesmo aconteceu com o piloto jordaniano Muath al-Kasaesbeh e. há alguns, o grupo decapitou 21 reféns em uma praia.

 

 

 

Ultima Hora