Egídio Serpa

By | 29/01/2015

Refinaria: a brocha na mão

Para justificar a decisão de cancelar o projeto de construção das refinarias Premium I, em São Luís, e Premium II, em Pecém, a Petrobras disse ontem que houve "ausência de parceiro econômico para a implantação". Terá sido? Em 3 de setembro de 2013, esta coluna disse – sob o título "Petrobras inquieta o Ceará" – que a gigante chinesa Sinopec "quer ser sócia da refinaria Premium II, no Pecém, e oferece um porcentual maior de participação do que o oferecido pela coreana GS Energy". Oferta recusada. A Sinopec prometia uma refinaria de tecnologia de ponta, a um custo menor do que Abreu e Lima. A Petrobras optou pelo seu jeito de fazer refinaria e dispensou os pretendentes chineses e coreanos. E deu no que está dando. O Ceará está com a brocha na mão.

Casinha

Há duas construtoras, uma delas pernambucana, disputando a compra de terrenos – hoje ocupados por residências unifamiliares – na rua Dom Expedito Lopes, antiga João Brígido. Mas uma casinha de esquina está a dificultar a negociação.

Petrobras

Do balanço da Petrobras, ontem divulgado, relativo ao terceiro trimestre de 2014, salta a seguinte informação: das suas 7 áreas de negócio, a de biocombustível deu um prejuízo de R$ 89 milhões. A Petrobras tem uma usina de biodiesel em Quixadá.

Magis

Três torres residenciais com apartamentos de 55,66 m² a 75,53 m² – que formam o Aquarela Condomínio Clube – serão erguidas pela Construtora Magis no bairro do Benfica. A Magis informa que foram comercializados 70% de suas unidades.

Móveis

Na próxima terça-feira, 3,acontece no Expo Center Norte, em São Paulo, a 19º Abimad, maior feira de móveis da América Latina. Uma empresa do Ceará – a Kirius Móveis, da cidade de Marco – estará lá entre os 157 expositores do evento.

Aeroporto: uma solução

No mesmo instante em que se anuncia que, em 2014, o aeroporto de Brasília se tornou o maior do País, superando até a movimentação do de Guarulhos, em São Paulo, e a do Galeão, no Rio de Janeiro, o aeroporto Pinto Martins segue sendo o patinho feio da Infraero, apesar de todos os esforços que essa empresa tem feito para minimizar o sofrimento dos seus usuários. O Pinto Martins, arquitetonicamente feio, poderá mudar seu aspecto quando concluída estiver sua expansão – paralisada desde antes da Copa do Mundo. Solução ideal: o Governo transferir, por concessão, à iniciativa privada a sua gestão. Como fez com o de Brasília.

Eventos

Enid Câmara – que preside a Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Eventos – revela: no Brasil, o setor representa 4,3% do PIB, gera 7,5 milhões de empregos e recolhe R$ 48,7 bilhões em impostos. A Câmara Setorial reuniu-se ontem na Adece. Nicolle Barbosa, presidente do Cede, esteve presente.

Bom

Incentivos

Secretário municipal de Desenvolvimento Econômico de Limoeiro do Norte, Luiz Girão diz que lá há incentivos fiscais e até terreno para quem quer investir no seu Distrito Industrial. Ah!!

Ruim

Sem água

São Paulo – exatamente, a cidade de São Paulo – terá um dia com água e cinco sem ela. Produto da seca que castiga o Sudeste e da falta de investimento em um setor vital ao desenvolvimento.

Livre Mercado

Foram fabricados no Ceará, mais precisamente na cidade de Marco – maior polo moveleiro do Estado – os móveis do Hotel Vila Galé Rio de Janeiro, construído e inaugurado no bairro da Lapa, na cidade do Rio. Quem os fabricou foi a Osterno Móveis, uma das maiores de Marco, cujo dono, empresário Geraldo Osterno, é o presidente do Sindicato da Indústria de Móveis do Ceará. O Vila Galé Rio tem 292 apartamentos e ocupa um prédio antigo da Lapa que foi totalmente remodelado pelo grupo hoteleiro português, que tem dois hoteis no Ceará – um na praia do Futuro, outro no Cumbuco.

Hoje, há mais fábricas de automóveis do que mercado consumidor.

Negócios