Egídio Serpa

By | 28/01/2015

Cagece terá menos água

No front da batalha que o governo do Ceará trava contra tradicional inimigo – a seca – as últimas notícias são estas: 1) a Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh) reduzirá em 15%, o volume de água que fornece à Cagece para a Região Metropolitana de Fortaleza; 2) a vazão que os açudes Castanhão e Banabuiú liberam para a irrigação terá redução de 30% – os fruticultores, já avisados, compreendem a situação e o alcance da medida; 3) a possibilidade de dessalinização da água do mar é de 100% tendo em vista a necessidade da usina siderúrgica do Pecém – uma empresa espanhola e outra de Israel são alternativas em exame pelo governo; 4) estas e outras medidas em estudo garantirão a oferta de água a Fortaleza pelos próximos 18 meses. Boa prevenção.

Na Alemanha

Gilson Gondim, presidente da Associação dos Produtores de Plantas e Flores Ornamentais do Ceará, está em Dresdem, na Alemanha, na maior feira mundial desse setor.

Ypióca

Também preocupada com os efeitos da seca, a Diageo – multinacional inglesa dona da Ypióca – convocou o especialista Demócrito de Souza Farias para examinar seu canavial irrigado em Paraipaba, no Vale do Curu. O que ele sugeriu como solução não foi revelado.

Adece

De fonte com gabinete no Palácio da Abolição: "Nicolle Barbosa consultará o governador Camilo Santana para a escolha do novo presidente da Adece". E há chance de Roberto Smith permanecer no cargo? "Claro que sim", respondeu.

Água: o nanogotejamento

Pesquisador da Embrapa – o agrônomo João Pratagil chama a atenção de quem produz por irrigação: "O Root Demand Irrigation (RDI), um tubo poroso que libera água por demanda da raiz da planta, é uma forma única de irrigação subsuperficial. Os exsudatos das raízes das plantas interagem com o tubo poroso RDI, que libera a água necessária para atender às exigências hídricas da planta". Eis aí o nanogotejamento subterrâneo. Tecnologia desenvolvida pela DuPont e fabricada pela Valmont, dos EUA, "e já disponível", revela Pratagil. Para áreas de baixa pluviometria, como o Ceará e o Nordeste, eis aí uma solução de custo ainda desconhecido.

Medidores

"Não se controla aquilo que não se mede", tem dito o agrônomo Zuza de Oliveira (foto), consultor empresarial em agropecuária. Entende ele que a Cogerh tem de instalar medidores de água em todas as propriedades rurais do Ceará. "Só assim se terá ideia do real consumo de água da agropecuária".

Bom

Insuspeitos

Um industrial, com o natural pedido de anonimato, faz uma sugestão ao governador Camilo Santana: que o seu segundo escalão seja recheado de nomes acima de quaisquer suspeitas.

Ruim

Sentença

Do presidente da Indonésia, Joko Widodo, em pronunciamento curto e grosso: "No meu País traficante não fica rico, não segue carreira política nem vira celebridade". Vai ao fuzilamento.

Livre Mercado

Agora que a Francesa Altice passou a controlar 25% da Oi, que antes pertenciam à Portugal Telecom, a operadora brasileira já se revela disposta a continuar o seu processo de transformação operacional e de forte controle de custos, tudo isso de olho na compra da TIM. A Oi pretende também migrar para o Novo Mercado da Bovespa, com nível mais elevado de governança. Segundo informa a Lopes Imobiliária, o mercado cearense de imóveis alcançou, no ano passado de 2014, o total de R$ 4 bilhões em novos lançamentos, um crescimento de 8,9%, em comparação com o ano anterior.

Negócios