Dólar sobe 0,37% ante real com preocupação doméstica, apesar de exterior positivo

By | 13/02/2015
O dólar fechou em alta ante o real nesta sexta-feira (13), retomando a pressão vista durante a maior parte deste mês após dar um respiro na sessão passada, com investidores minimizando o bom humor nos mercados externos e focando na deterioração dos fundamentos macroeconômicos brasileiros.
 
A moeda norte-americana subiu 0,37%, a R$ 2,8313 na venda, após acumular alta de quase 5% neste mês até a véspera, renovando as máximas em mais de uma década. Na semana, o dólar acumulou alta de 1,91% ante o real. Na máxima desta sessão, a divisa alcançou R$ 2,8590, alta de 1,35% e, na mínima, recuou a R$ 2,8156. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro foi de US$ 1,1 bilhão.
 
Indecisão
 
"Por um lado, o mercado externo está bem favorável. Mas, por outro, o lado doméstico não ajuda. Então o mercado opera de uma forma um pouco indecisa", disse o economista da 4Cast, Pedro Tuesta.
 
Alguns investidores temiam que a perspectiva de contração econômica e inflação acima do teto da meta neste ano, somada à crise na Petrobras e ao possível racionamento de energia e água, possa provocar a perda do grau de investimento brasileiro, o que diminuía o apetite por ativos domésticos.
 
"Se não tivermos nenhuma marola, sobreviveremos a 2015. Mas se houver qualquer marolinha, o cenário se complica muito", disse o estrategista da corretora Coinvalores Paulo Celso Nepomuceno.
 
Por isso, o mercado doméstico se descolou um pouco do quadro externo, onde o acordo de cessar-fogo na Ucrânia e esperanças de um compromisso que resolva o impasse em torno da dívida da Grécia traziam alívio aos mercados financeiros, bem como dados melhores do que o esperado sobre a economia da zona do euro, destacadamente a Alemanha.

Negócios