Vizinho que vendeu terreno para Mark Zuckerberg diz que bilionário não cumpriu acordo

By | 11/02/2015
Mark Zuckerberg (Foto: Getty Images)

O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, está envolvido em uma polêmica por conta de um terreno que comprou há pouco mais de dois anos.

O vendedor alega que só fechou o negócio com o empresário porque ele teria prometido lhe dar acesso a contatos no Vale do Silício, o que não aconteceu.

A história foi revelada nesta semana pela Bloomberg. O imbróglio começou no final de 2012, quando Mircea Voskerician enviou o primeiro email para Zuckerberg. Voskerician avisou que, como novo dono da propriedade vizinha, planejava demolir a casa que já estava erguida e construir uma mansão, cuja vista daria para o fundo do imóvel do bilionário – incluindo seu quarto.

Mas logo depois, ele parece ter mudado de ideia e sugeriu uma proposta um tanto incomum. Voskerician afirmou que, como um bom vizinho, estaria disposto a vender uma parte do terreno a Zuckerberg – que, assim, não teria uma casa 'colada na sua'. 

Depois de duas semanas, os dois fecharam negócio e o fundador do Facebook comprou o terreno inteiro – segundo o vendedor, ele tinha uma proposta de outro cliente financeiramente mais interessante, mas deu preferência ao vizinho.

O motivo para esse escolha seria a promessa feita por Zuckerberg de colocá-lo em contato com pessoas do Vale do Silício, algo que seria de muito valor para seus negócios. A proposta não foi formalizada por escrito e os advogados de Zuckerberg negam que ele tenha dito isso. Agora, Voskerician entrou com uma ação e caso os dois lados não cheguem a um acordo o caso pode ir para julgamento. 

O repórter da Bloomberg teve acesso a alguns emails envolvidos no caso. Na época em que a proposta de venda foi feita, pessoas próximas a Zuckerberg entenderam como uma tentativa do vendedor de fazer o fundador do Facebook pagar por a sua privacidade. Seu assessor financeiro chamou a proposta de obscena. Sua esposa, Priscilla Chan, lamentou. "São coisas como essas que me deixam tão triste e brava".

Um dos argumentos que eles usam para mostrar que Voskerician talvez estivesse tentando se aproveitar é um email que ele enviou a seu agente imobiliário. "Se Mark planeja viver ali a longo prazo", teria escrito o vendedor, ele teria "uma chance de garantir sua privacidade". O advogado de Voskerician, por outro lado, afirmou que seu cliente não estava tentando pressionar ninguém.

Em abril de 2013, Voskerician enviou um novo email para Zuckerberg, falando que estava "feliz por poder manter sua privacidade" com a venda do imóvel e que ele queria marcar um encontro para "discutir sua proposta de trabalharmos juntos no futuro". "Um dos motivos pelos quais eu aceitei sua oferta, além de garantir sua privacidade, foi sua proposta de me ajudar a apresentar minhas casas e projetos para seus funcionários do Facebook e criarmos uma relação", diz o texto. 

O empresário, porém, não demonstrou interesse em se encontrar com o antigo dono do terreno. Em outro email, o assistente pessoal de Zuckerberg afirma ter conversado sobre esse assunto com o chefe. Zuckerberg teria dito que se lembrava de ter comentado que poderia ajudar o vendedor com algo simples. O assistente queria encontrar um caminho para ajudar Voskerician sem que ele necessariamente se encontrasse com Zuckerberg. Aparentemente, o problema não foi resolvido e agora resta saber como o caso será encaminhado pelos advogados. 

Revista Época Negócios