Vaticano julgará ex-embaixador

By | 16/06/2015

Cidade do Vaticano. O Vaticano julgará o ex-arcebispo polonês Jozef Wesolowski por pedofilia e pela posse de pornografia infantil enquanto era embaixador na República Dominicana. Segundo um comunicado, a primeira audiência do religioso diante do tribunal ocorrerá em 11 de julho.

Depois de denúncias de abuso sexual divulgadas pela imprensa dominicana, o Vaticano convocou o ex-arcebispo em agosto de 2013. Wesolowski, 66, foi expurgado em junho de 2014 e se tornou a primeira pessoa a ser detida no Vaticano sob acusações de pedofilia.

O papa Francisco tem reforçado a política de tolerância zero a crimes de pedofilia por membros da Igreja Católica.

Na semana passada, foi anunciada a criação de um tribunal exclusivo para fazer o julgamento de casos de bispos acusados de negligência em relação aos casos de abuso sexual.

Ontem, o papa Francisco aceitou a renúncia de dois bispos dos EUA 10 dias após um promotor norte-americano ter apresentado denúncias criminais contra a diocese deles por não ter protegido crianças de abusos sexuais cometidos por padres.

O arcebispo John Nienstedt, de Saint Paul e Minneapolis, e um de seus vices, o bispo-auxiliar Lee Piche, renunciaram devido às ligações com Curtis Wehmeyer, ex-padre que cumpre pena de cinco anos de prisão após admitir culpa em 2012 por acusações de conduta sexual com dois menores, além de possuir pornografia infantil.

O promotor de Minnesota John Choi apresentou as denúncias contra a arquidiocese em 5 de junho. Centenas de casos civis já foram abertos contra o local por supostamente ter falhado em supervisionar padres ou por ignorar o abuso sexual cometido por membros do clero.

Nienstedt disse que estava renunciando porque sua liderança "chamou atenção distante dos bons trabalhos (da Igreja)". "Eu saio com a consciência limpa, sabendo que minha equipe e eu realizamos protocolos sólidos para garantir a proteção de menores e de adultos vulneráveis".

Um outro fato que chamou a atenção mundial para o Vaticano foi o rascunho da encíclica papal "Laudato Si" (Louvado seja, em português). O texto divulgado pela revista italiana L’Espresso ontem diz que o aquecimento global é causado principalmente pela atividade humana e representa uma ameaça à vida no planeta. A versão oficial será divulgada na quinta (18).

O texto é uma circular papal dirigida aos bispos e, por meio deles, a todos os fiéis. Esta é a primeira carta papal do gênero escrita integralmente por Francisco. No rascunho, o papa escreve sobre "um consenso científico muito consistente de que estamos na presença de um aquecimento alarmante do sistema climático".

Papa herói

Um vídeo que chegou à internet na última quinta, retratando o papa como um herói contra as mudanças climáticas, foi vetado por católicos nos EUA, retirado do ar horas após ser lançado, e acabou sendo adotado por uma ONG brasileira.

A peça retrata Francisco como um lutador de boxe que treina no estilo Rocky Balboa para combater os que querem destruir o planeta – ou a "criação de Deus", como diz o narrador. Ele corre, pula corda, transforma o cetro papal em uma arma marcial e treina com ninguém menos que o próprio Jesus Cristo.

Francisco vira lutador

Vídeo que mostra o papa como herói contra mudança climática foi vetado por católicos nos EUA
http://svmar.es/videopapa

Internacional