Tarifas superam a inflação

By | 14/06/2015

O valor dos pacotes de serviços e de tarifas avulsas em seis maiores instituições financeiras do País (Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú e Santander) teve aumento bastante superior à inflação em 2014. A constatação é da pesquisa do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). Dos 75 pacotes de serviços hoje oferecidos pelos bancos, 44% tiveram reajustes muitos acima da inflação de 7,7% do período (de março do ano passado a fevereiro deste ano).

> Aplicações que rendem juros são mais lucrativas

> Restituição pode quitar dívidas

O Bradesco, por exemplo, aumentou em 75,2% o preço de um de seus pacotes – quase dez vezes acima da inflação. "Os reajustes foram mais frequentes entre os pacotes de custo intermediário, os quais, possivelmente, são os mais utilizados pelos consumidores", comenta Ione Amorim, economista e pesquisadora do Idec.

Os aumentos nos pacotes de serviços afetam mais o consumidor, pois grande parte dos correntistas tem um pacote de serviço contratado na abertura da conta, explica o Idec. O cliente paga um valor fixo por mês pelos serviços incluídos nesse pacote, caso exceda o número de operações ou utilize algum serviço que não faz parte de seu pacote, a tarifa avulsa é cobrada.

Cesta Exclusive

Os clientes do Bradesco que no ano passado pagavam R$ 27,40 pela Cesta Exclusive Fácil, por exemplo, agora desembolsam R$ 48 por mês. O segundo maior aumento também foi o do Bradesco: a Cesta Exclusive está 33,3% mais cara, subiu de R$ 27,30 para R$ 36,40.O levantamento constatou ainda que os pacotes descontinuados – que não são mais ofertados pelos bancos para novos clientes, mas continuam valendo para os antigos – estão entre os que tiveram os maiores aumentos.

Os reajustes mais significativos nesse grupo foram os do Banco do Brasil, chegando a 56,8% para o pacote Modalidade 50, que saltou de R$ 31,35 para R$ 49,15. O Idec esclarece que a avaliação do Banco do Brasil considerou os pacotes comercializados até 2013, quando a instituição deixou de ofertar 26 pacotes. Recentemente o Itaú alterou todo seu portfólio para novos clientes e reajustou fortemente os pacotes contratados pelos antigos correntistas: a MaxiConta Itaú Eletrônica, por exemplo, subiu 25,2%, passando de R$ 11,10 para R$ 13,90.

Tarifas

Para facilitar a comparação entre as tarifas avulsas, o Idec selecionou 12 das 38 definidas como prioritárias pelo Banco Central, escolhendo as operações mais utilizadas pelo consumidor e oferecidas por todos os bancos. Considerando esse corte, o Banco do Brasil promoveu reajuste de 18,5% nas tarifas, a Caixa, 16,96%, e o Itaú, 8,46%.

Além da anuidade do cartão de crédito do HSBC, que aumentou 136% (de R$ 50 para R$ 118), destacam-se os reajustes no fornecimento de segunda via de cartão, que subiu 58% no Banco do Brasil (de R$ 5 para R$ 7,90) e 43,64% no Santander (R$ 5,50 para R$ 7,90). Na Caixa, um extrato pessoal de depósitos à vista ou de poupança ficou 51,72 mais caro, de R$ 1,45 para R$ 2,20.O Idec constatou ainda que o valor das tarifas avulsas para o mesmo serviço varia bastante de um banco para outro.

Função crédito

O pagamento de contas na função crédito, por exemplo, custa R$ 4 no Banco do Brasil e R$ 19,90 no Santander – variação de 397,5%. Nos dois bancos, a tarifa de retirada em espécie com cartão de crédito custa R$ 5 e R$ 15, respectivamente, correspondendo a 200% de diferença.

Negócios