Rússia acusa EUA de levar ‘caos’

By | 24/02/2015

Nova York. O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, acusou ontem os Estados Unidos de mergulhar o Oriente Médio no caos e alimentar o surgimento de extremistas em sua tentativa de dominar o mundo. O chanceler criticou a política de Washington durante um debate especial do Conselho de Segurança das Nações Unidas sobre a manutenção da paz e a segurança internacionais.

Lavrov citou os ataques aéreos na Síria, liderados pela pelos EUA, a invasão do Iraque em 2003 e a intervenção militar na Líbia em 2011, como exemplos de "violações dos princípios fundamentais das Nações Unidas".

"Tudo isso é resultado de tentativas para dominar os assuntos globais, de governar o mundo, em todos os lugares, de usar o poder militar unilateralmente para promover seus próprios interesses", declarou Lavrov ao Conselho de 15 membros.

"Isto mergulhou o Oriente Médio e o Norte da África na instabilidade e no caos e, em grande medida, tem sido um terreno fértil onde extremistas crescem".

Rússia e Estados Unidos têm estado em desacordo sobre a guerra na Síria, com o apoio de Moscou ao presidente Bashar al Assad e opondo-se aos ataques aéreos norte-americanos contra alvos da organização Estado Islâmico. A Rússia acusou repetidamente os Estados Unidos e seus aliados ocidentais de arquitetar a queda do líder ucraniano Viktor Yanukovych, inclinado em relação a Moscou, o que provocou a revolta separatista na Crimeia e no leste da Ucrânia.

"Nós realmente queremos ver o Conselho de Segurança como um instrumento eficaz para a paz e segurança, ou estamos transformando em um espaço de confrontação e propaganda?", questionou Lavrov.

Ele deu estas declarações no mesmo momento em que a Ucrânia acusava os rebeldes pró-russos de concentrar forças perto da cidade portuária de Mariupol, apesar do cessar-fogo. Ontem, o exército ucraniano anunciou que esperava o fim total dos tiros dos separatistas pró-russos antes de retirar as armas pesadas do front no leste da Ucrânia.

Internacional