Quase 5 mil voos são cancelados após nevasca

By | 23/01/2016

Washington. As grandes companhias aéreas dos Estados Unidos cancelaram mais de 4.800 voos que estavam previstos para ontem e hoje devido à forte nevasca que está prevista para cair no leste dos EUA até amanhã, segundo informou o serviço de monitoramento aéreo FlightAware. As empresas aéreas, que estão permitindo que os passageiros remarquem suas viagens, disseram que pretendem retomar as operações na tarde de amanhã.

Ao meio-dia de ontem (horário local, 15h no horário de Brasília), o governo federal encerrou o expediente. As empresas e os organismos administrativos sediados em Washington deram aos trabalhadores a opção de trabalhar a partir de casa.

A forte nevasca, chamada de Jonas, levou também ao fechamento de escolas e serviços públicos, como o metrô, que ficará fechado até amanhã, informou o Serviço Nacional de Meteorologia (SVM).

A tempestade pode atingir cerca de 50 milhões de pessoas, o que levou 15 estados a decretarem estado de emergência. Se as previsões se confirmarem, Jonas pode ser a segunda maior nevasca registrada em Washington desde 1922.

A tempestade está prevista, ainda, para atingir uma região que vai das Montanhas Apalaches até a Filadélfia e talvez atinja ainda mais ao norte dessa área dos Estados Unidos. Autoridades alertaram que pode haver problemas com rodovias bloqueadas e falta de energia.

A queda de neve mais pesada, entre 2,5 e 7,6 centímetros em uma hora, poderia continuar por mais 24 horas, segundo o SVM. Além de Washington, está prevista tempestade com até 46 centímetros de neve na Filadélfia e de até 30 centímetros em Nova York.

Com isso, o estado de emergência foi declarado em 15 estados, entre eles, o Tennessee, Carolina do Norte, Virgínia, Maryland, Pensilvânia, Distrito de Columbia, Nova York, Carolina do Sul e Arkansas.

A presidente da Câmara de Washington DC, Muriel Bowser, advertiu, ontem, que se trata de um temporal "de vida ou de morte" e que as autoridades trabalham com uma situação de "segurança nacional", já que o Serviço Nacional de Meteorologia descreveu o caso como "histórico", justificando a tomada de precauções sem precedentes.

O metrô de Washington, que serve os estados vizinhos de Maryland e Virgínia, fechou às 23h (2h de sábado no horário de Brasília) e assim permanecerá até pelo menos segunda (25), o que não ocorria desde o furacão Sandy, em outubro de 2012, quando o metrô fechou por 36 horas.

Os estados ameaçados pela tempestade já têm estocados cerca de dois milhões de toneladas de sal para limpeza de neve nas estradas.

Casa Branca

O presidente dos E UA, Barack Obama, assinou na quinta-feira (21) a declaração de situação de calamidade no Alabama por causa das tempestades e inundações causadas pelo temporal Golias, que atingiu o Sul e o Centro do país no fim do ano.

A declaração autoriza o envio de ajuda federal para recuperação do Alabama e para complementar a assistência já prestada ao estado, aos municípios, às reservas indígenas e a algumas ONG. Em 29 de dezembro, o presidente norte-americano assinara declaração idêntica para o estado do Oklahoma, a fim de ajudar as pessoas afetadas pelos ventos, tempestades e tornados do Golias.

O mau tempo que se registrou entre 23 e 31 de dezembro deixou um rasto de dezenas de mortos e milhares de casas destruídas, levando à decretação da situação de emergência em estados como o Texas, Missouri, Oklahoma, Novo México, Alabama, Mississípi e Geórgia.

Internacional