Procuradora-geral da Venezuela anuncia processo judicial contra Estados Unidos

By | 05/02/2015

A procuradora-geral da Venezuela, Luísa Ortega Díaz, anunciou nesta quinta-feira (5) que vai processar o governo dos Estados Unidos por este pretender relacioná-la com casos de suposta violação de direitos humanos. O anúncio foi feito durante o programa Em Sintonia com o Ministério Público, transmitido pela estatal Rádio Nacional da Venezuela.

Segundo Luísa, o Departamento de Estado dos EUA fez acusações contra ela por suposto envolvimento em casos de violação de direitos humanos, que ela interpretou como "parte de uma estratégia para desprestigiar" a Venezuela.

"Fica claro que o objetivo é influenciar a política venezuelana. É uma posição de intervenção, que ocorre poucos meses antes das eleições parlamentares [venezuelanas]. Não é fruto do acaso", acusou, afirmando que há um "ataque sistemático, nacional e internacional" contra a Venezuela.

Os Estados Unidos anunciaram na última segunda-feira (2) novas sanções (suspensão de vistos) contra antigos e atuais funcionários do governo venezuelano, sob acusação de diz serem "responsáveis ou cúmplices" por violações dos direitos humanos no país.

"Estamos enviando uma mensagem muito clara, de que os violadores de direitos humanos e os que se beneficiam com a corrupção, e as suas famílias, não são bem-vindos aos Estados Unidos", anunciou o porta-voz do Departamento de Estado, Jen Psaki.

Washington acusa Caracas de tentar "sufocar a dissidência", reprimindo manifestantes que protestam pela deterioração da situação política, econômica e de segurança no país. Em julho, o governo dos EUA já tinha imposto restrições na concessão de vistos a 24 dirigentes venezuelanos, supostamente envolvidos em violações de direitos humanos e na repressão de protestos de grupos opositores ao presidente Nicolás Maduro.

Internacional