Primeiro-ministro grego se reúne com Merkel e Hollande para buscar solução para Grécia

By | 10/06/2015
Alexis Tsipras, novo primeiro ministro da Grécia (Foto: Agência EFE)

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, se reunirá nesta quarta-feira (10/06) em Bruxelas com o presidente da França, François Hollande, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, para discutir a situação das negociações entre a Grécia e seus credores.

O encontro acontecerá às 16h (de Brasília), depois do jantar de líderes que participam da cúpula da União Europeia e da Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac).

Fontes diplomáticas confirmaram que o encontro foi marcado para que os três líderes "mantenham uma troca de pontos de vista sobre a situação" das negociações entre Grécia e seus credores.

Merkel e Hollande coincidiram em sua chegada à cúpula UE-Celac em advertir o governo grego da necessidade de concluir as negociações o mais rápido possível, pois falta apenas 20 dias para expirar a prorrogação do segundo resgate financeiro concedido à Grécia.

Grécia e seus credores estão tentando fechar um acordo sobre as reformas que o país deverá aplicar antes desse prazo, com o sinal verde de seus sócios da UE, o que permitiria concluir a última revisão das condições associadas ao resgate grego e desbloquear os 7,2 bilhões pendentes no programa.

A chanceler alemã lembrou que "cada dia conta" e insistiu na importância de continuarem os trabalhos entre Atenas e as três instituições que formavam a chamada troika: a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional, em coordenação com os membros da zona do euro.

"Queremos manter a Grécia na zona do euro", afirmou Merkel, que se mostrou convicta de que "onde há vontade, há um caminho".

Por sua parte, Hollande destacou que "agora é preciso avançar rápido, não alongar esta questão e deixar de pensar em soluções que seriam ruins para a Grécia, para a União Europeia e para a zona do euro".

"Se há um conselho a dar nesta cúpula é: trabalhemos, avancemos rápido e concluamos", resumiu.

Grécia está disposta a aceitar superávit primário de 1% em 2015, diz governo

O governo grego está disposto a aceitar uma meta maior de superávit primário para o ano atual, a fim de atender às demandas dos credores, afirmou uma graduada fonte do governo de Atenas nesta quarta-feira.

As declarações são dadas antes de uma reunião entre o primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente da França, François Hollande.
"O governo grego está disposto a aceitar a meta de superávit primário de 1% do Produto Interno Bruto sob algumas condições", afirmou a fonte grega.

Nesta semana, a Grécia entregou um rascunho atualizado das reformas econômicas que o governo está disposto a adotar, para liberar um bastante necessário auxílio financeiro ao país.
Essa proposta grega previa superávits primários de 0,75% do PIB em 2015, 1,75% em 2016 e 2,5% em 2017.

Essas metas são, porém, mais baixas que as propostas na semana passada pela Comissão Europeia, pelo Banco Central Europeu (BCE) e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), que recomendam um superávit primário de 1% do PIB em 2015, 2% em 2016 e 3% em 2017.

Revista Época Negócios