Preso um dos suspeitos de filmar execução no Ancuri

By | 28/02/2015

Um dos suspeitos de fazer parte da quadrilha que filmou a execução de Fábio Rodrigues de Sousa, 24, e publicou nas redes sociais, foi capturado na noite desta sexta-feira (27). Segundo a Polícia, Jorge Maciel de Sousa, 21, acabou preso no município de Ibaretama. Ele estava escondido na casa de uma irmã dele.

Outros três envolvidos no crime, incluindo a mulher que fez a filmagem, identificada como Ariadna Lima Cordeiro e conhecida como ‘Nobinha‘, estão sendo procurados. Conforme o coronel Francisco Souto, do Comando de Policiamento da Capital (CPC), uma equipe do Serviço de Inteligência da PM, juntamente com policiais do 16º BPM e policiais civis do 30º DP (São Cristóvão) conseguiram a informação de que o suspeito estava escondido no Distrito de Serrota, em Ibaretama. "Determinamos que as equipes fossem até lá e fizessem a prisão dele", afirmou F. Souto.

>Novo vídeo mostra momentos antes da execução de jovem no Ancuri

Após ser detido, Jorge Maciel foi trazido para a Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), onde deverá ser ouvido. "Vamos localizar e prender todos os envolvidos", disse o oficial. 

Segundo as investigações da Polícia, o crime ocorreu na terça-feira (17) de Carnaval, por volta das 11 horas da manhã, na Rua Padre Cícero, no Conjunto Vitória, bairro Ancuri, na Grande Messejana. Dias depois, o vídeo se espalhou pela internet. No dia 25, uma versão maior da gravação do assassinato foi divulgada.

O comandante do CPC revelou que o companheiro de ‘Nobinha’ seria traficante de drogas e estaria preso. De dentro da cadeia, ele teria ordenado que ela organizasse a execução de pessoas que estariam prejudicando a venda de drogas na região. "Ela arrumou aqueles comparsas e foram lá matar o rapaz que seria inimigo deles", contou o oficial.

Após filmar a morte, a mulher enviou a gravação para o companheiro, mas também teria divulgado em redes sociais como forma de intimidação. Conforme a investigação, três efetuaram os disparos enquanto a mulher filmava e incentivava. Um adolescente de 17 anos foi o primeiro a atirar. O segundo é um homem identificado como Mateus. Em seguida, Jorge Marciel efetua apenas um disparo em razão das munições terem acabado.

Jorge responde na Justiça por homicídio, a Ariadna não possui registro policial, mas tem uma irmã que está recolhida no presídio por assalto. Já o rapaz identificado apenas como "Mateus" seria irmão do homem que morreu durante uma tentativa de resgate de uma unidade prisional em Itaitinga.

Ultima Hora