Presidentes do Irã e da China firmam parceria para expandir laços estratégicos

By | 24/01/2016
O aiatolá Ali Khamenei (à direita) conversa com o presidente chinês Xi Jinping e o presidente iraniano Hassan Rouhani  (Foto: EFE)

Irã e China concordaram em expandir os laços bilaterais para formar uma parceria estratégica abrangente, disseram o presidente iraniano, Hassan Rohani, e o presidente chinês, Xi Jinping, neste sábado (23/01), chamando o momento de uma "nova época" nas relações entre os países.

O presidente chinês é o primeiro líder a visitar o Irã desde que as sanções internacionais contra a República Islâmica foram levantadas em 16 de janeiro, depois que o país fechou um acordo com seis grandes potências para limitar seu programa nuclear. A China foi um dos seis.

"Estamos felizes que o presidente Xi visitou o Irã após o levantamento das sanções… Irã e China concordaram em aumentar o comércio a 600 bilhões de dólares nos próximos dez anos", disse Rouhani em coletiva de imprensa com Xi transmitida ao vivo pela televisão estatal.

"Irã e China concordaram em formar relações estratégicas, como refletido em um documento abrangente de 25 anos", afirmou.

Ambos os países assinaram 17 acordos neste sábado, incluindo o renascimento da antiga rota de comércio Rota da Seda e cooperação em energia nuclear para fins pacíficos.

Rouhani disse que os dois países também concordaram em cooperar estreitamente para resolver o problema de "terrorismo e extremismo no Iraque, Síria, Afeganistão e Iêmen".

Xi é o primeiro presidente chinês a visitar o Irã em 14 anos, segundo a agência de notícias iraniana IRNA. Ele visitou a Arábia Saudita e Egito durante uma viagem ao Oriente Médio, que começou em 19 de janeiro.

Ele se encontrará com uma a figura mais poderosa do Irã, o líder supremo aiatolá Ali Khamenei, mais tarde.

Irã diz que nunca confiou no Ocidente

O líder supremo do Irã, Ayatollah Ali Khamenei, pediu neste sábado (23/01) pelo estreitamento dos laços econômicos e de segurança com a China, dizendo que o Irã nunca confiou no Ocidente, e os dois países concordaram em aumentar o comércio bilateral em mais de 10 vezes para 600 bilhões de dólares na próxima década.

A figura mais poderosa do Irã afirmou ao presidente chinês, Xi Jinping, durante visita ao Irã, que queria expandir os laços com "países mais independentes", acrescentando que os Estados Unidos "não foram honestos" na luta contra o terrorismo na região. "Os iranianos nunca confiaram no Ocidente… É por isso que Teerã busca cooperação com os países mais independentes (como a China)", Khamenei disse.

"O Irã é o país mais confiável na região para energia uma vez que suas políticas energéticas nunca serão afetadas por estrangeiros", disse Khamenei, segundo seu site oficial, em uma reunião com o presidente chinês, Xi Jinping.

Xi é o segundo líder membro do conselho de segurança da ONU a visitar Teerã desde que o acordo nuclear com potências mundiais foi fechado com o Irã no ano passado. O presidente russo, Vladimir Putin, visitou Teerã em novembro.

O Irã emergiu de anos de isolamento econômico neste mês quando a agência nuclear das Nações Unidas confirmou que o Irã cumpriu compromissos assumidos no âmbito de um acordo nuclear com as potências mundiais, abrindo espaço para a retirada de sanções nas Nações Unidas, nos Estados Unidos e da União Europeia.

(Por Bozorgmehr Sharafedin)

Revista Época Negócios