Política de Merkel está sob pressão

By | 20/01/2016

Berlim. Um grupo de parlamentares conservadores insistiu para que a chanceler alemã, Angela Merkel, reverta sua política de portas abertas a refugiados conforme uma pesquisa mostrou, ontem, uma queda no apoio do bloco à chanceler, aumentando as chances de a governante se ver no meio de profundas divisões em sua coligação de direita-esquerda.

Com três importantes eleições regionais ocorrendo em março, Merkel enfrenta o período mais difícil de seus 10 anos de governo. Aliados conservadores na Bavária, o ponto de entrada para a maioria dos imigrantes, estão rompendo com a posição do governo e a desaprovação também se instala no parceiro de coalizão, o Partido Social Democrata. Alguns meios de comunicação começaram a especular sobre o futuro de Merkel.

Uma pesquisa Insa do jornal Bild divulgada ontem mostrou que o apoio ao bloco conservador de Merkel baixou 2,5 pontos percentuais a 32,5%, o ponto mais baixo desde a eleição de 2013. A pesquisa também divulgou dados mostrando que a Alternativa para a Alemanha (AfD), de direita e que faz campanha contra os refugiados, subiu 1 ponto para 12,5%.

"Há uma tendência clara contra os conservadores na Alemanha. O tempo é curto para transformar este sentimento antes das votações regionais em março", analisou o chefe da Insa, Hermann Binkert, ao Bild.

Médicos Sem Fronteiras

O grupo humanitário Médicos Sem Fronteiras, por sua vez, afirmou que as tentativas de nações da União Europeia de reter imigrantes colocaram milhares em risco e criaram um negócio para os traficantes de pessoas. Em relatório, a entidade diz que o fechamento de fronteiras e o policiamento mais duro apenas encorajam pessoas a buscar abrigo ou empregos para usar outras rotas para chegar à Europa.

Internacional