Oito pessoas são resgatadas de naufrágio em Fortaleza

By | 24/12/2015

Oito pessoas foram resgatadas na noite desta quinta-feira (24) e receberam, primeiramente, atendimento médico do Serviço de Atendimento Móvel (SAMU) em Fortaleza. A informação foi confirmada pelo suboficial Rodrigues, da Capitania dos Portos do Ceará.

Segundo ele, a embarcação pesqueira naufragou próxima à Ilha de Fernando de Noronha. Um navio mercante avisou o ocorrido à outra embarcação pesqueira, "Rio Praça", que resgatou o grupo.

O suboficial Rodrigues declarou não ter informações do estado de saúde dos oito náufragos, já que só se comunicou com a embarcação através de rádio, mas confirmou que eles estão recebendo ajuda médica. 

Detalhes

Segundo informações da TV Diário, os pescadores eram do Rio Grande do Norte e estavam pescando em alto mar. Perto de Fernando de Noronha, perceberam que o piso de madeira, onde ficava a cozinha, havia cedido. Eles ficaram cinco dias e cinco noites à deriva em um bote.

O grupo foi resgatado por outros pescadores da embarcação cearense Rio Praça na Praia da Caponga, que também estava em alto mar, quando viu o bote.

O estado de saúde das oito pessoas não é considerado grave. Eles serão levados para o Hospital Geral de Fortaleza (HGF), Instituto Dr. José Frota (IJF) e para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), já que o perfil de estado de saúde de cada paciente é diferente. 

Depoimento

Horas após o resgate, Luis Antônio Brito, de 55 anos, contou ao Diário do Nordeste, que a embarcação saiu do Rio Grande do Norte, no último dia 19 de dezembro. O objetivo, segundo ele, era voltar pra casa dia 27. No domingo (dia 20), no entanto, perceberam que o barco começou a descer. "Ficamos na parte mais alta da embarcação e acionamos a boia inflável. Na hora fiquei procurando o comandante, ele foi o último que achei". 

O pescador também contou que o grupo tinha economizado água, ração e ninguém ingeriu água do mar. Ele ainda disse que era o mais experiente dos companheiros e que, quando percebeu que estavam próximos à terra, os incentivou à irem em direção ao que estavam vendo. "Usamos apito, gritamos pedindo ajuda. Hoje choveu muito, foi difícil". O grupo foi resgatado no início da noite.

"Achei que fôssemos morrer hoje à noite, mas não alarmei para ninguém. Hoje nascemos de novo", afirmou o pescador, visivelmente emocionado.

Ultima Hora