Novo rei da Arábia Saudita distribui US$ 32 bilhões à população

By | 26/02/2015

Líder europeus lutando por medidas de austeridade, a Grécia por um empréstimo, e o Congresso dos Estados Unidos em mais uma luta para aprovar o orçamento. Mas na Arábia Saudita, não há esse tipo de problemas quando você é rei – e pode gastar bilhões e bilhões com apenas um decreto. Segundo o New York Times, o novo rei Salman bin Abdelaziz al-Saud decidiu presentear a população do país doando US$ 32 bilhões. A estimativa do valor do decreto baixado pelo rei é da Ashmore Group, empresa de investiemento consultada pelo jornal americano. "A Arábia Saudita vive um tempo de festa", afirmou John Sfakianakis. O montante liberado pelo decreto é tão alto que é equivalente, por exemplo, ao orçamento anual da Nigéria, que é a maior economia da África.

O Rei saudita assumiu o trono – no mês passado após morte do irmão, o Rei Abdullah. Segundo o New York Times, ele apoderou-se do cargo rapidamente, já implantado medidas novas em várias esferas do governo. Mas nenhuma medida foi tão popular quanto a distribuição de pagamentos gigantes aos sauditas, que são feito através de várias ações: grandes quantias enviadas à associações profissionais, literárias e clubes esportivos; investimentos em água e eletricidade, bônus de dois meses extras para funcionários públicos, soldados e pensionistas. Algumas empresas privadas sauditas seguiram o Rei e deram bônus comparáveis, colocando mais alguns bilhões no bolso da população. 

Algumas empresas privadas seguiram com bônus comparáveis ​​para seus funcionários sauditas , colocando mais alguns bilhões de dólares nos bolsos das pessoas. Segundo a empresa de investimento afirmou ao jornal, os US$ 32 bilhões foram separados para serem gastos nos próximos anos, mas grande parte desse valor já está sendo liberado neste mês através de bônus. Considerando que o Estado é o maior empregador do país, com 3 milhões de funcionários, muita gente está sendo beneficiada. 

E como a população está aproveitando esses bônus? O New York Times mostra que eles estão gastando muito. Têm comprado novos celulares, aproveitado para viajar ao exterior, quitado dívidas, comprado colares de ouros para suas mães e até doado para a caridade. Alguns homens têm aproveitado para realizar o primeiro, segundo ou terceiro casamento. 

Revista Época Negócios