Novo prazo do CTTC é para o fim de agosto

By | 26/06/2015

Os adiamentos já foram diversos e, após mais de quatro anos de obras, o Governo do Estado promete entregar o Centro de Treinamento Técnico do Ceará (CTTC) no fim de agosto, com data a depender da agenda do governador Camilo Santana. O equipamento, que tem por objetivo preparar mão de obra local para os empreendimentos industriais do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp), não tem definido, contudo, quem será responsável por sua gestão.

Conforme a assessoria de imprensa da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece), o Centro ainda está sendo finalizado. As obras civis estão concluídas desde o ano passado, mas ainda falta terminar o acabamento e a equipagem das salas de aula, laboratórios e auditório. Todos os equipamentos, promete a pasta, estarão instalados até a data da inauguração.

Quanto à gestão do Centro, o governo havia inicialmente informado que este seria operado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-CE). Posteriormente, foi divulgado que o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) assumiria o empreendimento. Todavia, até o momento, ainda não há nada definido.

"A Secitece e a Casa Civil ainda estão discutindo este ponto com técnicos e empresários para ver qual seria melhor gestão", informou a assessoria de imprensa da secretaria. O IFCE não está descartado, contudo. A ideia, segundo a pasta, é de que seja feita uma concessão administrativa.

Termo assinado

O diretor regional do Senai, Paulo José Holanda, lembrou que a instituição chegou a assinar um termo de cooperação técnica com o governo estadual com fins de assumir a gestão do CTTC, mas que os trâmites não avançaram. "Ficou de haver ainda uma reunião entre o governo, o IFCE e o Senai para discutir isso. Está prestes de haver esta reunião", aponta o diretor. "O Senai é parceiro do governo e está com disposição para entrar na parceria para o CTTC, mas acredito que não assumiremos a gestão", diz.

Em virtude dos atrasos na entrega do equipamento, a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), que deveria ser o principal beneficiado com a formação de mão-de-obra no CTTC, buscou meios próprios de ter gente treinada no Estado. A empresa firmou, como lembra Holanda, um contrato com o Senai em abril passado, no valor de R$ 4,99 milhões, para a capacitação de 1.400 pessoas para a primeira fase da siderúrgica. A promessa da CSP é contratar mil pessoas.

"Nós já iniciamos a execução das atividades. As aulas começaram em maio, com cinco turmas. Neste mês de junho, iniciamos mais três e chegaremos ao número total até o fim do ano. Serão, ao todo, 51 turmas, em 17 cursos", informa Holanda.

Investimento

O projeto do CTTC foi orçado em R$ 33 milhões, sendo R$ 14,7 milhões provenientes de emendas parlamentares pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e o restante por meio do Tesouro estadual.

Sérgio de Sousa
Repórter

Negócios