Nevasca deixou 28 mortos nos EUA

By | 25/01/2016

Washington. A forte nevasca provocada pela tempestade Jonas, que deixou pelo menos 28 mortos, parece ter começado finalmente a perder força ontem na costa leste dos Estados Unidos, oferecendo uma oportunidade aos moradores para limpar as ruas e avenidas.

A histórica tempestade cobriu de neve o leste do país na sexta-feira e sábado, paralisando cidades como Nova York e Washington D.C. E afetando 85 milhões de pessoas, o que equivale a 25% da população do país.

Mais de 7.500 voos foram cancelados entre sexta e sábado. Ontem, 3.750 voos estavam cancelados e outros 700 estavam cancelados para hoje, segundo o site de monitoramento aéreo FlightAware.Com.

A meteorologia informou que a tempestade – que recebeu o apelido de "Snowzilla", mistura de "snow", neve em inglês, e o nome do monstro do cinema "Godzilla" – deixou 56 centímetros de neve acumulada na capital norte-americana.

Os quase 68 centímetros de neve acumuladas no Central Park de Nova York representaram a segunda maior marca desde o início dos registros em 1869.

Vítimas

Em Delaware, um policial morreu de infarto depois de trabalhar retirando neve da frente de sua casa durante uma hora. No Kentucky, um funcionário de uma empresa de transporte morreu enquanto retirava neve das ruas. Ele foi encontrado caído, depois de sua pá aparentemente ter escorregado para uma vala. No mesmo estado, um homem morreu de acidente de carro.

Em Maryland, duas pessoas morreram de infarto enquanto retiravam neve da frente de suas casas. Na cidade de Nova Jersey, uma mulher e seu filho morreram de intoxicação por monóxido de carbono enquanto andavam em um carro que teve seu escapamento entupido por neve. Já em Nova York, três pessoas morreram enquanto trabalhavam retirando neve. A tempestade também fez vítimas na Carolina do Norte, Ohio, Pensilvânia, Carolina do Sul, Tennessee e Virginia.

Como a tempestade perdeu força durante a madrugada, as autoridades de Nova York retiraram ontem a proibição de viagens e reabriram as ruas da cidade, assim com as estradas.

"Ninguém gosta de interromper o transporte e o comércio. No entanto, a tempestade foi rápida e furiosa", disse o governador do estado de Nova York, Andrew Cuomo.

Cearenses

Os três aeroportos da região de Nova York (John F. Kennedy, La Guardia e Newark) não registraram pousos ou decolagens desde sábado. O empresário cearense Freitas Cordeiro está entre as pessoas que tiveram de adiar a volta para casa por conta da nevasca. "Era realmente impossível voar. Não tem como reclamar porque é um fenômeno que acontece mesmo. É questão de segurança", disse o empresário que esperava deixar os Estados Unidos ontem.

Internacional