Neto de Tom Jobim surpreende o público

By | 16/02/2015

A semelhança está na aparência, na voz, em alguns gestos. Daniel Jobim herdou do pai, o violonista Paulo Jobim, e do avô, Tom Jobim, o gosto pela música, mantendo uma ligação estreita com o trabalho do pianista. "Gostava particularmente de tirar algumas músicas dele, de acompanhá-lo nos shows", fala Daniel sobre o avô.

Às 15h deste domingo, durante o projeto Café no Tom, num Restaurante Basílico lotado, Daniel revelou curiosidades do avô e histórias engraçadas de bastidores, além de dar palhinhas que emocionaram o público, como " Luiza" e "Águas de Março", de Tom Jobim; e " Dias Azuis", parceria de Daniel com Milton Nascimento.

"Meu avô compunha todo dia. Eu componho uma música hoje e outra daqui a dez anos!", comentou. Segundo o músico, começou a tocar piano profissionalmente muito jovem, mas apenas aos 21 anos, após a morte de Tom, passou a cantar. "Notei que, cantando, minha voz era muito parecida com a dele. Então, passei a canta-lo, as pessoas pediam isso, era como uma forma de te-lo por perto", detalhou Daniel.

Sobre o fato de ter-se tornado pianista como o avô e não violonista, como o pai, brincou: "Na nossa família, a gente vai revezando. Meu avo tocou piano. Meu pai toca violão, aí eu toco piano e meu filho vai tocar violão, que é pra um acompanhar o outro". 

Show 

Daniel Jobim é uma das atrações principais da noite deste domingo, na Cidade Jazz e Blues, que apresenta ainda uma das maiores referências da soul music, Willie Walker. Representando o blues, a banda Puro Malte sobe ao palco ao lado de Victor Gueiros.

 
Programação
21h30 – Show Daniel Jobim canta Tom
Willie Walker Band (EUA) convida Raphael Wressnig (Áustria)
1h – Jam Session – Casa do Blues: Puro Malte e Victor Gueiros (CE)

Ultima Hora