Levy: não é intenção manter o câmbio artificialmente valorizado

By | 31/01/2015
Joaquim Levy anuncia aumento de impostos  (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)

"A economia (brasileira) tem funcionado mais por conta própria do que com apoio do governo." A frase poderia ter partido do meio empresarial. Mas foi dita nesta sexta-feira (30/01) pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, em evento para clientes e investidores do grupo Bradesco em São Paulo.

O ministro mencionou a questão cambial ao responder pergunta de economista do Bradesco sobre como o governo planeja contribuir para a indústria brasileira, especialmente a que exporta, conseguir se reerguer. Levy afirmou que o câmbio é uma variável que não se pode controlar com facilidade e afirmou não ter a intenção de manter o câmbio "artificialmente valorizado". "Não faremos grandes operações no câmbio", disse.

Nesse contexto, Levy afirmou que o empresariado não deve contar com medidas do governo no câmbio para ganhar competitividade. A respeito das contribuições do governo, o titular da Fazenda afirmou que o governo vai "focar muito" na infraestrutura, na área de portos.

 

Revista Época Negócios