Justiça paralisa exportações de minério de ferro da Vale por Tubarão

By | 22/01/2016
Fachada da sede da mineradora Vale no Rio de Janeiro (Foto: Pilar Olivares/Reuters)

A brasileira Vale, maior exportadora global de minério de ferro, paralisou na manhã desta quinta-feira (21/01) a operação do porto de Tubarão, no Espírito Santo, responsável pelos embarques de mais de 30%  da produção da companhia, cumprindo uma decisão judicial motivada por questões ambientais.

A Vale disse em nota que "irá adotar todas as medidas judiciais cabíveis para garantir o reestabelecimento das suas atividades na Ponta de Tubarão".

O terminal fica localizado na parte continental do município de Vitória.

Segundo a Justiça Federal, a suspensão de atividades em dois píeres ocorreu para evitar a emissão de poeira de carvão no ar e de pó de minério no mar.

A Justiça determinou a suspensão temporária das duas companhias no Píer II (minério de ferro) e no Píer de Carvão (Praia Mole).

Até o terceiro trimestre de 2015, a Vale embarcou 82,5 milhões de toneladas de minério de ferro pelo Porto de Tubarão, segundo dados da mineradora.

O montante é equivalente a 34% da produção acumulada da empresa nos nove meses encerrados em setembro, de 248,038 milhões de toneladas.

A decisão judicial também atingiu as atividades da ArcelorMital Brasil no complexo portuário.

"Tal medida paralisa as atividades de exportação e importação da Vale no Espírito Santo, provocando grande impacto na economia do estado, com reflexos em Minas Gerais", afirmou a Vale em nota, por meio de sua assessoria de imprensa.

A ArcelorMital não comentou imediatamente o assunto.

(Por Marta Nogueira)

Revista Época Negócios