Juiz livra governo de caso Amia

By | 28/02/2015

Buenos Aires. O juiz federal argentino Daniel Rafecas, que na quinta, rejeitou a denúncia do promotor Alberto Nisman, morto em janeiro, contra a presidente Cristina Kirchner, disse ontem que não há indícios de que o governo argentino tenha tentado encobrir o caso Amia.

Segundo ele, "o governo esgotou todas as instâncias para que (a investigação do) caso avance". "As ordens de captura nunca estiveram em risco. O governo sempre foi firme e consistente em manter essas ordens", disse Rafecas na entrevista. Sobre a decisão que tomou na quinta, ele disse que "ninguém, nem de um lado nem de outro, se aproximou para fazer ingerências ou para pressionar".

Alberto Nisman acusara Cristina Kirchner, o chanceler Héctor Timerman e outros governistas de acobertar os oito iranianos acusados pelo ataque à entidade judaica Amia, que deixou 85 mortos em 1994, em troca de aumento do comércio entre o Irã e a Argentina -Teerã sempre negou seu envolvimento.

Após a morte do promotor, o pedido de investigação da presidente foi formalizado por um novo promotor, Gerardo Pollicita. O Ministério Público deve recorrer da decisão de Rafecas.

Internacional