Irã pede adesão a esforços de paz

By | 07/01/2016

Teerã. O Irã exigiu, ontem, que a Arábia Saudita deixe de se opor aos esforços do país para alcançar a paz, em um momento no qual a comunidade internacional tenta reduzir a tensão no Oriente Médio entre países sunitas e xiitas. "Há dois anos e meio, a Arábia Saudita se opõe aos esforços da diplomacia iraniana e deve abandonar esta tendência de criar tensões", declarou o ministro das relações Exteriores do Irã, Mohamad Javad Zarif.

O chanceler citou em particular o acordo nuclear concluído em julho de 2015 entre o Irã e as grandes potências, que teve a oposição de Riad, em linha com o "regime sionista" de Israel.

"O Irã sempre buscou a paz e a compreensão com seus vizinhos, sem tentar criar tensões", afirmou Zarif, ao lado do chanceler iraquiano, Ibrahim al-Jaafari, que visitava Teerã. Este último afirmou que o Iraque, "que mantém boas relações com o Irã e com os países árabes", trabalha para reduzir a tensão entre iranianos e sauditas, para "não embarcar a região em uma guerra que não teria vencedores".

Em função da situação, a representação iraniana deixou a Arábia Saudita. A execução no sábado, na Arábia Saudita, de um clérigo xiita provocou a indignação desta comunidade religiosa, majoritária no Irã. Isso que elevou a tensão entre países sunitas e xiitas em toda a região.

Ontem, o Catar convocou seu embaixador em Teerã. Enquanto isso, oficiais de segurança do Iêmen afirmaram que a coalizão liderada pela Arábia Saudita intensificou os ataques aéreos na capital iemenita, Sanaa, tendo como alvo rebeldes xiitas.

Internacional