Internautas protestam contra projeto que restringe definição de família

By | 24/02/2015
Usuários participam de "twittaço" e "facebookaço" (Foto: Reprodução/Facebook)

Usuários compartilharam nesta terça-feira (24/02), nas redes sociais, imagens em que apareciam ao lado de suas famílias — independentemente de sua composição. Convocados pela Associação Nacional de Grupos de Apoio à Adoção (ANGAAD) e pelo Instituto Brasileiro de Direito de Família (IBDFAM), os internautas se mobilizavam contra o desarquivamento do Estatuto da Família, projeto que restringe o conceito à união entre um homem e uma mulher.

Proposto pelo deputado Anderson Ferreira (PR) em 2013 e desarquivado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), o documento desconsidera relações homoafetivas. Os manifestantes publicaram fotos com a hashtag #emdefesadetodasasfamílias, a fim de protestar contra a tramitação do estatuto.

"As entidades conclamam a sociedade a defender a pluralidade das famílias brasileiras", diz comunicado da ANGAAD. "O objetivo é reunir o maior número possível de registros com as mais variadas composições familiares."

No Facebook, o deputado federal Jean Wyllys (PSOL) defendeu o protesto. "Então a família não pode ser baseada apenas no afeto, é isso mesmo, produção?", escreveu. Ele publicou com um link para reportagem sobre gays que adotaram uma criança rejeitada por três casais heterossexuais.

No Estatuto da Família, em seu atual formato, a entidade familiar é definida como "o núcleo social formado a partir da união entre um homem e uma mulher, por meio de casamento ou união estável, ou ainda por comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes”.

Revista Época Negócios