Intenção de consumo recua 1,6%

By | 24/02/2015

Rio. A Intenção de Consumo das Famílias caiu 1,6% em relação a janeiro, para 117,8 pontos, o menor nível da série histórica iniciada em janeiro de 2010, segundo dados da Confederação Nacional do Comércio ed Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Na comparação com fevereiro do ano passado, a intenção de consumo está 9,3% menor. Embora o índice permaneça acima da zona de indiferença (de 100,0 pontos), o que indica um nível ainda favorável ao consumo, houve pressão dos aumentos de preços de bens e serviços sobre o orçamento das famílias.

A CNC lembra que a inflação oficial medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do IBGE, ficou em 1,24% em janeiro, maior resultado mensal desde fevereiro de 2003. Os consumidores gastaram mais com habitação, alimentos e transportes.

"Nós continuamos com um cenário de inflação elevada e juros altos, o que já vinha afetando a confiança dos consumidores", justificou Juliana Serapio, assessora econômica da CNC.

A perspectiva de compra de bens de consumo duráveis é prejudicada pela taxa de juros ao consumidor, que está em patamar bastante elevado. "O item referente ao acesso ao crédito, que é ligado ao indicador de bens duráveis, também está no menor nível da pesquisa, aos 119,3 pontos", acrescentou a economista.

Negócios