Ibovespa sobe 0,2% acompanhando bolsas no exterior

By | 22/06/2015
A Bovespa fechou em leve alta nesta segunda-feira, acompanhando bolsas no exterior por expectativas ligadas à Grécia, mas o giro financeiro ficou abaixo da média, reflexo da cautela com o noticiário político e a deterioração da economia.
 
O Ibovespa, avançou 0,21%, a 53.863 pontos. O giro financeiro somou R$ 5 bilhões, abaixo da média diária do ano, de aproximadamente R$ 7 bilhões.
 
Na cena corporativa, Marfrig chegou a disparar quase 15%, após acordo para vender a unidade de frangos e alimentos processados europeia Moy Park para a JBS.
 
Em Wall Street, o índice S&P 500 avançou 0,61% e o Nasdaq renovou recorde. Apesar da ausência de um acordo sobre a Grécia, a apresentação de propostas por Atenas alimentou esperanças de uma solução de última hora.
 
Segundo profissionais do mercado ouvidos pela Reuters, a cena global proporcionou algum suporte, mas a nova fase da operação Lava Jato e seus potenciais desdobramentos adicionam incertezas nas esferas política e econômica.
 
Pesquisa Focus do Banco Central ainda mostrou economistas ajustando expectativas para o lado negativo, com as projeções para o IPCA subindo a 8,97% e para a retração do PIB aumentando a 1,45% em 2015.
 
Destaques 
 
MARFRIG fechou em alta de 9,7%, após acertar no domingo a venda da unidade de frangos e alimentos processados europeia Moy Park para a JBS por cerca de US$ 1,5 bilhão. JBS subiu 1,15%.
 
CEMIG subiu 3,98%, guiando as altas de elétricas no Ibovespa, com o índice do setor subindo 0,9%. Estrategistas do JPMorgan disseram em relatório que o setor oferece oportunidades num cenário de alta de preços mais forte que o esperado, argumentando que as tarifas são ajustadas pela inflação e que a demanda é pouco elástica, além de haver melhora no risco para setores regulados no Brasil.
 
KROTON avançou 2,2%, após três sessões no vermelho.
 
PETROBRAS teve um dia volátil, diante das expectativas pela divulgação do plano de negócios. A ação preferencial subiram 0,23% e a ordinária avançou 0,28%, também ainda a leve alta do petróleo.
 
BRASKEM ganhou 0,4 por cento, após ter desabado mais de 10 por cento na sexta-feira, na esteira da prisão do presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, em nova fase da operação Lava Jato, que investiga esquema de corrupção envolvendo a Petrobras. A sede da Braskem, controlada pela Odebrecht, também foi alvo de busca e apreensão de documentos.
 
VALE terminou em queda ao redor de 3%, ante novo declínio nos preços do minério à vista nos portos chineses..
 
FIBRIA e EMBRAER caíram 1,9 e 1,6%, respectivamente, em meio à queda do dólar.

Negócios