Iata sugere mudar o tamanho da bagagem de mão

By | 12/06/2015
A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês) sugeriu, no encerramento da sua reunião geral anual, em Miami, a padronização das dimensões de bagagens de mão que devem somar no máximo 110 cm (55 x 35 x 20 cm). A entidade que representa 260 companhias aéreas do mundo, entre elas a TAM, GOL, Azul e Avianca, defende que a medida tem como objetivo facilitar o procedimento de embarque e evitar transtornos de um aeroporto para outro. 
 
As malas com o novo tamanho receberão o selo "Cabin OK", atestando que a bagagem está dentro do padrão recomendado pelas empresas aéreas. Para definir as dimensões ideais, possibilitando ao passageiro acomodar o item acima ou debaixo de seu assento, a Iata consultou as fabricantes de avião Boeing e Airbus. 
 
Segundo o vice-presidente para Aeroportos da Iata, Thomas Windmuller, a entidade está apresentando a proposta às principais fabricantes de mala e às companhias aéreas. Algumas empresas já manifestaram interesse em adotar a "mala-padrão", como, por exemplo, a Avianca, Azul, Lufthansa, Emirates e Qatar Airways. Mesmo aceitando o selo, entretanto, as companhias aéreas continuarão a ter autonomia para definir seus próprios limites de bagagem. 
 
No Brasil, o novo padrão enquadra-se na legislação brasileira. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), define o peso máximo da bagagem de mão para 5kg e as dimensões devem ser inferiores a 115cm. 

Negócios