Grécia perde prazo e só entregará a lista de reformas nesta terça (24)

By | 24/02/2015

O governo grego não conseguiu entregar nesta segunda-feira (23), conforme previsto, a lista de reformas prometida ao Eurogrupo para garantir a extensão do programa de resgate de sua economia. A lista só chegará às mãos dos ministros da Fazenda dos países que fazem parte da zona do euro na terça-feira (24) de manhã. A decisão é esperada para o fim da tarde.

Se a lista for aprovada, está garantida a extensão, por mais quatro meses, do programa de ajuda de 240 bilhões de euros (cerca de R$ 780 bilhões), que expiraria no sábado (21). Se for rejeitada, pode haver um colapso nas negociações. A Grécia ficaria sem dinheiro, o que ampliaria o risco da tão temida saída do país da zona do euro.

A lista de reformas a ser entregue deve prever, entre outras coisas, a redução dos gastos públicos, medidas contra a evasão de impostos e contra as atividades ilícitas da indústria do petróleo e do cigarro. O analista Daniel Gros, do Centro de Estudos de Política Europeia, acredita que as reformas serão aceitas pelo Eurogrupo e que, com isso, a Grécia ganhará tempo para rediscutir as medidas de austeridade e negociar um novo programa.

O acordo com a chamada troika (grupo composto pela União Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional), pela renovação do programa de resgate, foi avaliado pelos líderes gregos como um “importante passo”.

Embora não tenha conseguido, conforme prometido na campanha eleitoral em janeiro, abandonar as medidas de austeridade impostas pela troika, o recém-eleito governo grego conquistou, nas negociações da última semana, duas concessões consideradas substanciais: a possibilidade de redução da meta de superavit primário, liberando fundos para aliviar a chamada “crise humanitária” do país, e uma maior margem de manobra para propor políticas econômicas e fiscais.

O ministro das Finanças da Grécia, Yanis Varoufakis, em entrevista à imprensa neste fim de semana, demonstrou otimismo com os resultados alcançados até agora. “Estamos muito confiantes na aprovação da lista de reformas que apresentaremos. Estamos embarcando em uma nova fase de estabilidade e crescimento”, disse ele.

Ultima Hora