Graça Foster será substituída, diz jornal; governo nega

By | 04/02/2015

A presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, foi informada pelo Palácio do Planalto que será substituída, disse nesta terça-feira o site do jornal Folha de S.Paulo, sem citar fontes.

Segundo a publicação, a presidente Dilma Rousseff está convencida de que a posição da executiva é "insustentável", depois da divulgação na semana passada do balanço não auditado da companhia no terceiro trimestre de 2014 citando avaliações internas de que 88 bilhões de reais em ativos estariam supervalorizados devido a corrupção e falhas administrativas.

O Palácio do Planalto negou a saída da presidente da Petrobras, segundo a sua Secretaria de Imprensa. Procurada, a Petrobras não comentou imediatamente a informação.

De acordo com matéria publicada na manhã desta terça-feira (3) pela Folha de São Paulo, o Palácio do Planalto teria comunidado a decisão da presidente Dilma Rousseff a Graça.

A reportagem destaca que Graça Foster já havia pedido para sair do cargo em outras ocasiões. Isso porque a presença da executiva era vista no governo como um anteparo político às diversas denúncias de corrupção na estatal. Dilma considerou os R$ 88 bilhões, que ficou fora do balanço não auditado do terceiro trimestre da Petrobras.

A maior empresa do País perdeu quase 3/4 de seu valor de mercado nos últimos anos por causa da política de investimentos inflada e os sucessivos casos de corrupção apurados pela Operação Lava-Jato. Ainda segundo a matéria da Folha de São Paulo, Dilma Rousseff também está preocupada pessoalmente com Graça, que sempre foi de sua confiança, desde que presidia o Conselho da Petrobras como ministra do governo Lula.

Os relatos são de que a executiva está sob forte pressão emocional devido ao caso.

Negócios