Governo tem trabalhado ter inflação na meta em 2016, diz Levy

By | 13/06/2015
Joaquim Levy (Foto:  Marcelo Camargo/ Agência Brasil)

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, afirmou neste sábado (13/06) que o governo tem trabalhado para que a inflação convirja à meta de 4,5% em 2016. Mas, para que esse objetivo seja cumprido, o ritmo de alta de preços no início do ano que vem tem de ser mais brando do que no início deste ano.

"Estamos trabalhando para a convergência em 2016. Para ter convergência, obviamente tem que começar 2016 com a taxa de inflação mais baixa do que tivemos nesse início de ano. Essa é a expectativa, que no fim do ano a inflação já comece a cair e chegue ao início do ano de uma maneira mais favorável, cumprindo com o objetivo de trazer a inflação para perto da meta", disse Levy ao deixar a sessão de encerramento da 73ª Plenária do Grupo dos 30, no Rio.

O patamar de inflação a que se chegará no início de 2016, porém, vai depender da política monetária e de outros fatores, afirmou Levy. Sobre a situação da Grécia, o ministro afirmou esperar que "tudo se resolva da melhor maneira possível". "Mas a gente está preparado para qualquer circunstância", garantiu. "Temos confiança de que as coisas vão ter um encaminhamento que reflita o desejo e as possibilidades da Grécia", acrescentou.

Após o desencontro de informações entre o ministro da Saúde, Arthur Chioro, e Levy sobre uma nova CPMF, o titular da Fazenda esclareceu que o foco agora é a votação do Projeto de Lei 863/2015, que reduz a desoneração da folha de pagamento para as empresas. "Temos que diminuir a renúncia fiscal sobre a folha de pagamento. Temos que votar o PL como mandamos", disse Levy. "O projeto é muito importante para dar saúde, dar longevidade à nossa Previdência Social", acrescentou o ministro.
Ao final da entrevista, Levy foi saudado por um hóspede do hotel onde ocorria o evento, em Copacabana, na zona sul do Rio. "Ministro, parabéns pelo trabalho, força aí", disse.

Revista Época Negócios