Governo pode fazer cortes em programas sociais

By | 09/02/2015

De acordo com reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, a equipe econômica fará um pente-fino em todos os programas governamentais. A intenção é melhorar a eficiência dos gastos do governo brasileiro e ajudar no cumprimento da meta fiscal. A análise também deverá atingir os programas sociais e de investimentos de Dilma Rousseff.

A tarefa será realizada pelo grupo de trabalho de gastos públicos, composto pelos Ministérios da Fazenda, Planejamento e Controladoria-Geral da União (CGU), criado pelo governo para ajudar no reequilíbrio fiscal e que teve sua primeira reunião no domingo (8). Uma das primeiras atividades será auxiliar na estratégia para definir a redução dos gastos, o que será anunciado logo depois da aprovação do Orçamento pelo Congresso.

Riscos 

O risco de recessão, se o governo não conseguir cumprir a meta fiscal, e as crises de abastecimento de água e energia vêm preocupando e exigindo um maior controle dos programas. Além disso, a resistência do Congresso para aprovar os recentes ajustes fiscais, como aumento de tributos, será outra dificuldade para o governo lidar, causando uma incerteza em relação a capacidade de cumprimento da meta de superávit de 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB) para 2015.

Para o secretário executivo do Ministério do Planejamento, Dyogo Oliveira, "o objetivo é olhar o gasto para a frente, olhar os programas e buscar melhorias." Segundo ele, o corte não será linear nos ministérios e a discussão dos programas não indica uma alteração em todos eles. O Bolsa Família, por exemplo, está preservado por lei do contingenciamento. No entanto, ainda não há indicação sobre onde haverá cortes.

Diagnóstico

Ainda sem saber o total dos gastos a serem reduzidos com este processo, o governo espera apresentar um diagnóstico em 90 dias. "Queremos fazer mais com menos despesas", disse o secretário de Planejamento e Investimentos Estratégicos, Gilson Bittencourt.

Ultima Hora