Focus eleva alta de preços administrados neste ano para 14%

By | 15/06/2015

Mais uma rodada de alta das previsões do mercado financeiro para os preços administrados em 2015. A mediana das estimativas para esse conjunto de preços passou de 13,94% para 14% no Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta segunda-feira (15) pelo Banco Central. Há um mês, a mediana para esse conjunto de itens estava em 13,50%. Para 2016, a expectativa no boletim Focus apresentada nesta segunda também avançou, saindo de 5,80% para 5 84%. Há quatro semanas estava em 5,71%.

Segundo a mais recente ata do Comitê de Política Monetária (Copom), esse conjunto de itens apresentará elevação de 12,7% este ano, e não mais de 11,8% como constava na edição anterior. No documento de março, a estimativa era de 10,7%. Para 2016, a diretoria mantém em 5,3% a alta de preços administrados. A ata de quinta-feira (11) revela que, para estimar a elevação dos administrados, o BC considerou uma alta de 41% na tarifa de energia elétrica este ano. Na edição de maio, a previsão era de 38,3%. No caso de telefonia fixa, a autoridade monetária prevê agora uma queda de 4,4% ante baixa de 4,1% da ata anterior. A diretoria também levou em conta a hipótese de elevação de 9,1% do preço da gasolina (antes estava em 9,8%).

Juros

Mesmo com a manutenção do ritmo de alta da Selic em 0,50 ponto porcentual pelo Copom e a divulgação da ata considerada conservadora na quinta-feira (11), o mercado financeiro manteve suas estimativas para quase todas as variáveis que englobam a Selic no relatório do BC. Foi mantida, por exemplo, a mediana com a expectativa de que a taxa básica de juros avançará para 14% ao ano no final deste ano. Há um mês, a estimativa observada no boletim era de que a Selic encerrasse 2015 em 13,50% ao ano. A taxa média para 2015 ficou inalterada em 13,50% ao ano. Quatro semanas antes, essa taxa média estava em 13,22% ao ano.

No caso do fim de 2016, a mediana das projeções permaneceu em 12% ao ano pela terceira semana. Há quatro edições do boletim Focus, estava em 11,75% ao ano. Já a previsão para a Selic média do ano que vem subiu bastante, passando de 12,31% para 12,83% ao ano, o que embute a informação de que houve alguma alteração para cima nas projeções que ainda não foi detectada pela mediana.

Entre os economistas que mais acertam as projeções para o rumo da taxa básica de juros, o Top 5 no médio prazo, não houve mudanças: a Selic vai encerrar 2016 em 11,50% ao ano, de acordo com eles. Para 2015, a previsão de que a Selic encerrará em 13 75% ao ano foi mantida.

Câmbio

A mediana das estimativas para o dólar no encerramento de 2015 continuou em R$ 3,20 pela sétima vez seguida. Já a cotação final de 2016 seguiu em R$ 3,30 pela décima edição do Focus. Para este ano, a mediana para o câmbio médio também seguiu inalterado, em R$ 3,10. Há um mês estava em R$ 3,07. Já para o ano que vem, apesar das estimativas paralisadas para o encerramento do ano, houve aumento do dólar médio de R$ 3,25, patamar em que já se encontrava há um mês, para R$ 3,27 agora.

Negócios