Filho de brasileira no EI é condenado

By | 12/02/2015

Antuérpia. Brian de Mulder, 21, filho da brasileira Ozana Rodrigues, foi condenado pela Justiça belga ontem a cinco anos de prisão. Acredita-se que o jovem, ausente de seu próprio julgamento, integre hoje as fileiras do Estado Islâmico na Síria.

Ele havia deixado sua casa, na Bélgica (onde nasceu), em janeiro de 2013. A mãe culpa a comunidade muçulmana local, em especial a organização radical islâmica Sharia4Belgium, pela radicalização de seu filho. Foram julgados também ontem diversos outros membros do grupo, incluindo o líder Fouad Belkacem. Eles receberam penas variadas – Belkacem deve ir à prisão por 12 anos.

À reportagem Rodrigues afirma estar decepcionada com as sentenças. "Esse cara acabou com a vida de muita gente, 12 anos é pouco tempo de cadeia", diz sobre Belkacem. Seu filho terá de, além da prisão, pagar uma multa de 2.500 euros (R$ 7.925) ao Estado belga.

À reportagem, um dia antes da sentença, Rodrigues havia dito que preferia "chorar na porta da cadeia" do que ter o filho atuando na Síria.

Mas não há informações sobre o paradeiro do garoto, que é conhecido no Estado Islâmico como Abu Qassem Brasileiro.

Danos

Rodrigues deve contestar a decisão do tribunal belga. Ela diz que irá pedir compensação pelo estrago causado em sua vida pelo Estado, que não teria impedido a radicalização de seu filho. "A Polícia sabia que esses terroristas estavam atrás do meu Brian desde 2010 e não fez nada", disse.

Internacional